Variedades

Será o fim dos boatos online? Facebook alertará usuários sobre notícias falsas

Rede social anunciou parceria

Daiane Libero Publicado em 16/12/2016, às 10h55

None
fbifcn.jpg

Rede social anunciou parceria

A era das notícias "caça-clique", que objetivam apenas captar o clique do usuário, ou seu acesso, a partir de um link com falsa notícia ou falso direcionamento no Facebook, parece estar chegando num declínio. O Facebook anunciou nesta quinta-feira (15) que, em parceria com a International Fact Checking Network – rede de checadores da qual a Agência Lupa faz parte -, iniciou um projeto que visa a identificar notícias falsas postadas na rede social. 

O projeto experimental será realizado primeiro nos Estados Unidos e consiste na possibilidade de checadores profissionais classificarem informações que circulam nas timelines como sendo inverídicas. Em seguida, os fact-checkers deverão postar no mesmo local um link contendo a correção e a informação verdadeira sobre aquele determinado assunto.

O criador da rede social, Mark Zuckerberg, se pronunciou sobre a mudança em seu perfil oficial. “Queremos que a partir de agora vocês tenham mais informações sobre o que essas organizações especializadas em fact cheking (verificação de fatos) pensam que é rigoroso. Assim, ninguém mais poderá colocar um anúncio em uma história que está sendo contestada nem poderá promovê-la em nossa plataforma”, disse. “Quando muita gente nos informar que uma história é um boato, vamos enviá-la para organizações externas especializadas em verificar os fatos para que a estudem. Se estiverem de acordo que a história é falsa, vocês verão uma bandeira ao lado da história indicando que foi colocada sob suspeita”. 

"É um caminho natural para uma rede social com tanta aderência e que tem tido um espaço tão grande em nossas vidas", opina o analista de sistemas Geraldo Souza Farias, de Campo Grande. "Esse recurso poderá ajudar as pessoas a terem mais discernimento, já que a maioria delas confia em links, compartilha sem ler. E tem pessoas que não sabem os links exatamente e compartilham achando que é de um determinado site, e na verdade não é. Acredito que o recurso pode ser bem positivo", acredita. 

As postagens que tiverem sido classificadas como falsas pelos checadores poderão continuar sendo compartilhadas. Não haverá qualquer impedimento ou censura. No entanto, aqueles que o fizerem receberão um alerta, informando claramente que a veracidade do dado em questão foi posta em xeque por especialistas.

Jornal Midiamax