O Ibama (Instituto Brasileiro do e dos Recursos Naturais Renováveis) anunciou que vai realizar uma série de audiências em Mato Grosso do Sul e no , com o objetivo de colher informações sobre o empreendimento da Nova Ferroeste, ferrovia que vai potencializar a logística entre estes dois estados.

Conforme edital publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (28), será aberta discussão com técnicos, autoridades e representantes da comunidade local para apresentar detalhes do projeto, sanar dúvidas e colher críticas, assim como sugestões, referentes ao relatório de impacto ambiental.

Em Mato Grosso do Sul, a audiência será realizada no próximo dia 16 de maio, a partir das 19 horas, no Sindicato Rural de , a 225 quilômetros de Campo Grande, localizado na Rua Valério Fabiano 100, Alhambra. As demais serão no Paraná, com datas e horários disponíveis neste link.

Em novembro do ano passado, a Seil (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística) do Governo do Estado do Paraná, responsável pela Nova Ferroeste, determinou a realização de um estudo de impacto ambiental.

Nova Ferroeste

A Nova Ferroeste deve destinar R$ 2,85 bilhões à construção de 76 quilômetros de ferrovia em Mato Grosso do Sul, conectando o município de , a 160 quilômetros de Campo Grande, a Dourados. A partir de Maracaju, será possível chegar à cidade portuária de Paranaguá, no Paraná, aumentando a competitividade das commodities produzidas em território sul-mato-grossense.

O investimento será realizado no âmbito do Pro Trilhos, programa de autorizações ferroviárias do Governo Federal, conforme medida provisória publicada no dia 30 de agosto. O projeto de 1.285 quilômetros que vai beneficiar Mato Grosso do Sul prevê a e modernização do trecho existente e a ampliação do traçado, ligando Guarapuava a Paranaguá, no Litoral do Paraná, e Cascavel a Maracaju, no Mato Grosso do Sul. Também será construído um ramal ferroviário entre Cascavel e Foz do Iguaçu, favorecendo a produção do Oeste e dos países vizinhos.