Política / Transparência

CNJ encerra inspeção do Tribunal de Justiça de MS e destaca bons resultados

Desde segunda-feira (18), a equipe da Corregedoria Nacional de Justiça verificou os setores administrativo e judicial do TJ

Lucas Mamédio Publicado em 22/10/2021, às 17h01

None
(Foto: Divulgação)

Iniciada na última segunda-feira, dia 18 de outubro, terminou hoje a inspeção da Corregedoria Nacional de Justiça no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O Des. Carlos Vieira von Adamek, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que coordenou a inspeção, reconheceu a capacidade da maior parte dos gabinetes de conseguir julgar mais demandas do que recebe, mesmo diante do número vultoso que vem sendo apresentado de processos.

“Entre as boas práticas que apuramos está o fato do segundo grau ter um quadro dimensionado bastante compatível, realmente bem informado, bem estruturado nas condições de trabalho, ter uma equipe qualificada, uma assessoria que, embora não muito grande, é uma assessoria qualificada”, destacou o coordenador dos trabalhos de inspeção.

Por último, o responsável pela inspeção apontou a necessidade de aumento no número de servidores, tendo em vista o grande volume de distribuições e ter encontrado alguns processos paralisados há mais de 100 dias.

O presidente do Tribunal de Justiça, Des. Carlos Eduardo Contar, primeiro lamentou a Ministra não ter conseguido acompanhar a inspeção presencialmente e depois agradeceu as palavras da equipe do CNJ, destacando a exatidão presente nelas. Ressaltou as providências que estão sendo tomadas e que não há mais nenhum analista judiciário aprovado no último concurso do TJMS para ser nomeado. 

Inspeção – Desde segunda-feira, dia 18 de outubro, a equipe da Corregedoria Nacional de Justiça verificou os setores administrativo e judicial do Tribunal de Justiça, além de serventias extrajudiciais, levantando dados e procedimentos relacionados ao funcionamento dos serviços. O objetivo da Corregedoria é zelar pelo aprimoramento de toda atividade judiciária, fiscalizando as diversas unidades do Poder Judiciário e os serviços por ele monitorados.

Na abertura dos trabalhos, a Ministra já havia destacado que o objetivo da inspeção é conhecer o andamento dos trabalhos do Tribunal, registrar as boas práticas e propor recomendações que contribuam para uma prestação jurisdicional de excelência, eficiente e célere. “Não buscamos problemas, mas ajudar nas soluções. Nesses cinco dias, que tenho certeza serão de muito trabalho, serão inspecionadas 65 unidades, dentre as unidades judiciárias de primeiro e segundo grau, e os setores administrativos do Tribunal, além de três serventias extrajudiciais”.

Jornal Midiamax