Política / Transparência

Câmara aprova projetos que concedem incentivos e doam áreas para 43 empresas em Campo Grande

Tratam-se das propostas relacionadas ao Prodes, que concede incentivo em troca investimento e geração de emprego

Mayara Bueno Publicado em 29/06/2021, às 12h42 - Atualizado às 13h38

Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus, nesta terça-feira (29)
Vereadores durante sessão virtual, adotada por causa da pandemia de coronavírus, nesta terça-feira (29) - (Foto: Reprodução/Facebook)

Os vereadores aprovaram 43 projetos de leis referentes ao Prodes (Programa de Desenvolvimento Econômico e Social de Campo Grande). São empresas que apresentaram processo para conseguir benefícios fiscais e, em alguns casos, terrenos para construção de empreendimentos. A Prefeitura de Campo Grande enviou 59 propostas, das quais, pelo menos 15 foram 'devolvidas' por falta de documentação. Na sessão passada, foi anunicada a retirada de seis.

Quando entregou à Casa de Leis, o município afirmou que a estimativa, com os projetos do Prodes, são investimentos de R$ 391 milhões. No fim da votação, o presidente Carlão (PSB) disse que havia proposituras de quase 10 anos e que foram aprovadas em menos de 30 dias, contados a partir do momento em que foram entregues no Legislativo.

A afirmação é 'resposta' à item do projeto de reforma o Prodes, que retira a necessidade de votação no Legislativo municipal. A justificativa do município para tal é de que a submissão ao parlamento prejudica o processo, fazendo com que se alongue ainda mais, até sua aprovação. "Atrasa onde inicia", disse o dirigente nesta manhã.  A reformulação do Prodes, que ainda não foi aprovada, portanto, não está em vigor, prevê que pedidos de incentivos fiscais básicos não mais passarão pelo crivo dos parlamentares, enquanto projetos que preveem doação de áreas e benefícios acima de cinco anos, continuarão.

Confira as empresas beneficiadas com o Prodes:

Com doação e incentivos fiscais: Amazônia Madeiras; Sementes Pastoforma; Ponzan Indústria e Comércio; Oxinal Oxigênio Nacional; Safe Life Distribuidora; Baker Indústria de Pães Congelados; AG-Mix Comércio de Ferro e Aço; Boiko Transportes e Logística; Brilhar Serviços Terceirizados; Wegg Engineering Construções; Construtora Rial; Dafla Termoplásticos; Resíduos Soluções Ambientais; Pedro Targino da Silva Júnior; Held e Held; Carvosul Comércio de Carvão e Lenha; Vladimar José Tomazelli; R.I Tecnologia; Art Irapuã Móveis e Decoração; Souto e Lima Mangueiras e Peças Automativas.

Ainda, Cooperativa Agropecuária Ouro da Terra; CLR Comércio de Produtos de Higiene e Limpeza, Saneante, Gênero Alimentício e Médico Hospitalar; L & F Indústria, Comércio, Distribuição e Logística de Produtos Alimentícios, Higiene e Limpeza; Gan Transportes R.P S/A; Clodoaldo Machado de Almeida; Pirâmide Logística; Manejo Indústria, Comércio, Importação e Exportação de Sementes; Nutri Centro Distribuidora de Produtos Agropecuários.

Já as empresas que vão receber só incentivos: Multi energisa serviços; Taurus Distribuidora; Solarias Indústria e Comércio e Persianas; L & T Serviços Médicos; M A E Comércio Reforma de Pneumáticos e Borracharia; Emerald Serviços Médicos; Sr. de Lima Clínica Médica; Perfil Ferros e Indústria e Comércio de Ferro e Aço; Todimo Materiais para Construção; Pauli Indústria Metalúrgica e Comércio

Jornal Midiamax