Política / Transparência

Além de repasse de R$ 38 milhões, Santa Casa de Campo Grande tenta renegociar dívidas

A Santa Casa de Campo Grande pretende renegociar dívidas, que podem reduzir em R$ 2 milhões os pagamentos fixos da instituição de saúde. Segundo o hospital, o valor da dívida é ‘complexo’ e o intuito é negociar dívidas recentes para, posteriormente, fazer o mesmo com as mais antigas – que poderão gerar a economia milionária […]

Mayara Bueno Publicado em 10/12/2020, às 09h11 - Atualizado às 12h00

Santa Casa de Campo Grande. (Foto: Arquivo)
Santa Casa de Campo Grande. (Foto: Arquivo) - Santa Casa de Campo Grande. (Foto: Arquivo)

A Santa Casa de Campo Grande pretende renegociar dívidas, que podem reduzir em R$ 2 milhões os pagamentos fixos da instituição de saúde. Segundo o hospital, o valor da dívida é ‘complexo’ e o intuito é negociar dívidas recentes para, posteriormente, fazer o mesmo com as mais antigas – que poderão gerar a economia milionária citada acima.

Esta foi uma das pautas da ida da direção da Santa Casa, junto com equipe da Prefeitura de Campo Grande, em Brasília. A instituição tenta, ainda, conseguir repasse de R$ 38 milhões do Ministério da Saúde. O recurso seria auxílio financeiro destinado às entidades filantrópicas que atuam na saúde. Porto Alegre (RS) já teria conseguido tal verba.

No caso da renegociação, o apoio do município e, segundo o hospital, parte da bancada federal de Mato Grosso do Sul, é para tomada de ‘decisão e para conseguir autorização das instituições financeiras’.

Em Brasília, participaram de reunião, o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, o presidente da Santa Casa, Heitor Rodrigues, e o assessor da superintendência do hospital, João Carlos Marchezan, há duas semanas. Segundo o titular, há expectativa que uma resposta positiva quanto aos R$ 38 milhões saia na semana que vem.

De acordo com a assessoria da Santa Casa da Capital, houve aumento de demanda de pacientes, dificuldades com recebimento de materiais e medicamentos, além da diminuição de repasses do poder público.

Jornal Midiamax