Política / Transparência

Promessa de André e Giroto, academias ao ar livre são canceladas por Reinaldo

Contrato que beneficiaria 32 municípios foi rescindido

Joaquim Padilha Publicado em 18/01/2017, às 11h46

Academia ao ar livre em Campo Grande. (Divulgação, PMCG, Arquivo).
Academia ao ar livre em Campo Grande. (Divulgação, PMCG, Arquivo). - Academia ao ar livre em Campo Grande. (Divulgação, PMCG, Arquivo).

Contrato que beneficiaria 32 municípios foi rescindido

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (18) trouxe a rescisão do contrato celebrado pela gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) para financiar o fornecimento e instalação de 50 academias ao ar livre, em diversas cidades de Mato Grosso do Sul, um projeto iniciado na gestão de André Puccinelli (PMDB). 

O contrato, avaliado em R$ 1,3 milhão, foi assinado com a empresa Zati Equipamentos para Ginástica, em novembro de 2015. Segundo o contrato, 32 municípios, incluindo Campo Grande, receberiam as instalações.

Apesar de ter sido contratualizada em 2015, pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), a iniciativa da instalação das academias e disponibilização dos recursos partiu da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul).

Em abril de 2014, ainda na gestão do ex-governador André Puccinelli, a Fundesporte havia se reunido com representantes dos 32 municípios que receberiam as academias. A verba partiria de uma emenda parlamentar do ex-deputado federal Edson Giroto, em uma de suas últimas ações dentro do PMDB. Os recursos já haviam sido empenhados pelo Ministério do Esporte ao fim de 2013.

Mesmo com a verba garantida, o dinheiro nunca foi pago à empresa que instalaria as academias ao ar livre. O contrato firmado em 2015 previa a instalação dos equipamentos em 360 dias.

De acordo com o Portal da Transparência do governo do Estado, a Fundesporte chegou a empenhar os R$ 1,3 milhões para a Zati ainda ao fim de 2015, mas os valores nunca foram liquidados.

A instalação de cada academia custaria em torno de R$ 26,7 mil. A rescisão do contrato foi assinada pelo diretor-presidente da Agesul, Ednei Marcelo Miglioli, e pelo representante da Zati Equipamentos para Ginástica, Wilson Shigueru Matsunaga.

(sob supervisão de Ludyney Moura)

Jornal Midiamax