FCMS apura falta de prestação de contas de documentário de Corguinho

Verba pública soma R$ 29,5 mil a documentário
| 25/05/2015
- 16:54
FCMS apura falta de prestação de contas de documentário de Corguinho

Verba pública soma R$ 29,5 mil a documentário

A falta de prestação de contas da verba de R$ 29,5 mil do FIC (Fundo de Investimentos Culturais) cedida a Antonio Lopes Santana, Secretário de Turismo de Corguinho, distante 96 quilômetros de Campo Grande, fez com que a FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul) instaurasse uma comissão para apurar a aplicação do dinheiro público. Os membros da comissão foram divulgados nesta segunda-feira (25) no Diário Oficial do Estado.

Em dezembro, outros nove projetos que receberam verbas públicas ainda em 2013 estavam sob investigação, mas os fatos já foram esclarecidos. Somente o projeto cultural “Documentando Corguinho” não apresentou as contas provando a aplicação do dinheiro.

Por telefone, o secretário Antonio Santana explicou a demora ao Jornal Midiamax e disse que o documentário, apesar de não apresentado ainda à população, está pronto. “Tivemos dificuldades na filmagem e edição, com a contratação de uma empresa para tratar o vídeo, mas já resolvemos. Nosso projeto ficou parado por conta dessas complicações, mas nesta semana vamos prestar as contas de tudo à Fundação”.

Em fevereiro deste ano, o servidor Reginaldo Pereira Peralta, que era presidente das comissões de tomada de contas especial de projetos do FIC foi detido na Operação Fantoche, deflagrada pelo Gaeco (Delegacia Especializada de Repressão ao Crime Organizado).

No mesmo dia da detenção, foi publicada no Diário Oficial do Estado a prorrogação por 60 dias de sete tomadas de conta especial para apuração dos fatos, identificação dos responsáveis, quantificação do dano e obtenção do ressarcimento. 

Veja também

PGE citou que Mato Grosso do Sul ficou muito abaixo da meta no ano passado

Últimas notícias