Política / Transparência

Empresa paulista ganha licitação para fornecer viaturas ao Batalhão de Choque

Valor do contrato ficou em R$ 17.030,00 e se refere ao aluguel de 20 viaturas

Kemila Pellin Publicado em 29/06/2015, às 20h38

None
viaturas_bp_choque_foto_diogo_goncalves_site_6.jpg

Valor do contrato ficou em R$ 17.030,00 e se refere ao aluguel de 20 viaturas

Uma empresa paulista será a responsável por fornecer as 20 viaturas, em caráter experimental, do Batalhão de Choque, além de 10 veículos para o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e 100 viaturas para a Polícia Militar. Outras 120 picapes, também para a PM, devem ser fornecidas por uma empresa mineira.

De imediato, o governo de Mato Grosso do Sul prevê a locação das 20 viaturas SUV modelo SW4 Toyota, para o Bpchoque, com proposta inicial de R$ 31.996,11, arrematado com valor final de R$ 17.030,00.

No segundo lote, estão previstas 10 unidades, modelo Amarok VW, para o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), com proposta inicial de R$ 27.108,84 e valor final de R$ 14.483,00, e no quarto e último lote, a previsão é de 100 veículos, Amarok VW, com proposta inicial de R$ 26.037,99 e valor final de R$ 16.696,00. Os três lotes foram arrematados pela empresa paulista H. Lobo Locações.

O terceiro lote, que prevê a locação de 120 unidades picapes S10 GM, com proposta inicial de R$ 26.037,99 e final de R$ 12.012,00, foi arrematado pela Empresa de Transporte Apoteose, de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Os números foram apresentados nesta segunda-feira (29), pelo secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto de Assis ao comentar o resultado do processo licitatório para locação de 250 viaturas para a Polícia Militar.

Assis explica que como se trata da modalidade registro de preços, a pasta não precisa necessariamente utilizar a quantia de automóveis de uma só vez. As empresas vencedoras devem fornecer os itens conforme a demanda e terão compromisso com o poder público por um ano. “Quando houver necessidade, a secretaria fará o pedido ao setor responsável para que o valor do aluguel seja liberado e entregue à companhia”, explica o titular da pasta.

A medida, segundo o secretário já vem sendo adotada pelos estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro. “É uma tendência que visa reduzir custos e manter sempre a frota em dia. Se essa experiência der certo em Mato Grosso do Sul iremos estender para a frota utilizada pelo Governo”, antecipou.

Jornal Midiamax