Mato Grosso do Sul no circuito internacional de combate ao financiamento do terrorismo

Relatórios reavivam suspeitas que ligam atuação de facções e envio de fortunas para Oriente Médio à região de fronteira
| 23/12/2021
- 15:59
Indícios apontam ligação entre ilícitos comuns em Mato Grosso do Sul e financiamento do terrorismo internacional
Indícios apontam ligação entre ilícitos comuns em Mato Grosso do Sul e financiamento do terrorismo internacional - (Ilustração sobre reprodução, Dhaka Tribune)

O financiamento do terrorismo pode colocar na rota de investigações internacionais. Relatórios divulgados recentemente embasaram decisões norte-americanas que respingam em solo brasileiro.

Além disso, segundo apontam indícios, relacionam atividades ilícitas comuns na região de fronteira entre Brasil, e Bolívia com o financiamento de grupos extremistas que atuam no Oriente Médio.

Nomes já enrolados em investigações anteriores teriam vínculos em Mato Grosso do Sul através de CNPJs sediados em SP, ES e MG. Neste último estado, o comércio de pedras preciosas ajudaria a reintegrar dinheiro lavado ilegalmente no Brasil e usado para custear arrojada logística de facções criminosas.

Narcotráfico e tráfico de armas em MS: base do financiamento do terrorismo

Além disso, segundo relatado por agências internacionais de investigação e combate a redes de terrorismo, o lucrativo mercado ilegal de armamentos aproveitaria facilidades em regiões de fronteira onde corrupção policial e falta de estrutura ajudariam na circulação de cargas milionárias de armas e munições.

Investigações recentes no Paraguai já haviam apontado ligação entre o fornecimento de armamento para a facção criminosa brasileira PCC (Primeiro Comando da Capital), e para o grupo EPP (Exército do Povo Paraguaio) com remessas milionárias para países do Oriente Médio.  

Em Mato Grosso do Sul, 'túneis' devidamente loteados, como são chamadas as rotas para driblar fiscalização e policiamento, seriam de extrema importância para manter o negócio funcionando com movimentação de produtos lucrativos como drogas e armas, para um lado, e de dinheiro em espécie, para o outro.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do !

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Veja também

Vizinhos acionaram polícia por som alto em condomínio chique e ganharam show com carteirada

Últimas notícias