A Justiça indeferiu pedido de habeas corpus para soltar o médico residente João Pedro da Silva Miranda Jorge, 29, preso após se envolver novamente em acidente em Campo Grande, no último dia 08 deste mês, na Rua Paulo Machado com a Avenida Rubens Gil de Camilo.

A decisão, publicada na última sexta-feira (16), é do desembargador Jairo Roberto de Quadros, que negou o pedido de liberdade do médico residente que está preso preventivamente.

Neste último acidente, João Pedro se recusou a fazer o teste de bafômetro, porém, de acordo com a polícia, ele apresentava sinais de embriaguez. Ele conduzia uma caminhonete Amarok quando, no cruzamento da Rua Paulo Machado com a Avenida Rubens Gil de Camilo, colidiu com um veículo Corolla. A motorista foi socorrida para a Santa Casa com suspeita de fratura no quadril.

Em 2017, João Pedro se envolveu em acidente que matou a advogada Carolina Albuquerque Machado. Ele chegou a ser condenado a dois anos de prisão por causar o acidente que resultou na morte de Carolina.

Na época, dia 2 de novembro de 2017, a vítima voltava para a casa de madrugada com o filho pequeno, quando foi atingida pela caminhonete do por João na Avenida Afonso Pena, que trafegava a 115 Km/h. A advogada não resistiu ao impacto e morreu no local, porém, o filho dela escapou sem ferimentos graves.

O acidente aconteceu no cruzamento da Avenida Afonso Pena e a Rua Paulo Coelho Machado. João dirigia uma caminhonete Frontier, também sob influência de álcool. Após o acidente, o autor fugiu do local.

Em janeiro de 2017, João também se envolveu em acidente de trânsito bêbado. O acidente aconteceu na rotatória da Avenida Tamandaré com a Euler de Azevedo.

João conduzia a caminhonete Frontier quando atingiu um veículo Fiat Uno onde estava mãe e filho, que ficaram feridos e foram socorridos para Santa Casa. O autor também fugiu do local do acidente.