Política / Justiça

Projeto ensina o que é Justiça na escola

O sucesso do projeto “Juiz da Escola” foi celebrado com uma comemoração especial ontem, em Abel Figueiredo. O juiz Gabriel Costa Ribeiro, titular da Comarca de Rondon do Pará e criador do projeto que envolve alunos do ensino fundamental, esteve no município junto a uma comitiva para encontrar os pequeninos participantes da iniciativa. Numa cerimônia […]

Arquivo Publicado em 16/10/2011, às 18h07

None

O sucesso do projeto “Juiz da Escola” foi celebrado com uma comemoração especial ontem, em Abel Figueiredo. O juiz Gabriel Costa Ribeiro, titular da Comarca de Rondon do Pará e criador do projeto que envolve alunos do ensino fundamental, esteve no município junto a uma comitiva para encontrar os pequeninos participantes da iniciativa.

Numa cerimônia marcada pela emoção e pela descontração, as cerca de mil crianças e adolescentes do projeto apresentaram músicas e poemas voltados ao respeito de seus direitos fundamentais. Além disso, os participantes foram premiados pelos trabalhos executados durante o projeto, que teve início em agosto de 2010.

O projeto coloca os alunos em contato com juiz, promotores de Justiça e advogados, com o objetivo de fazê-los entender como funciona o sistema de Justiça brasileiro. Segundo o juiz Gabriel Costa, a ideia é transformá-los em agentes multiplicadores, “conscientes de que violência não pode existir, muito menos justiça com as próprias mãos, além de que eles têm direito à escola, à educação, e isto vai passando de um para o outro”.

Aluno da 3a série da escola Alacid da Silva Nunes, Gedeão Rodrigues Oliveira foi um dos premiados no evento, com uma história em quadrinhos sobre a trajetória de sua avó. “O marido dela morreu e os avós queriam tomar o filho dela. Aí ela foi e entrou na justiça, falou com o juiz e o Juiz falou que ela ia ficar com seus filhos, porque assim determina a lei e o bem-estar do adolescente é fundamental”, ensina o garoto.

Para o desembargador Leonardo Noronha Tavares, que fez parte da comitiva, uma iniciativa que “deve ser copiada não só no Estado, mas no Brasil todo”, disse, destacando que o “Juiz na Escola” concorre a um prêmio promovido pelo Ministério da Justiça, o “Inovare”.

Para uma próxima etapa, ainda com alunos do ensino fundamental, o projeto deve incluir simulações de julgamentos onde personagens históricos ou literários serão julgados para dar aos alunos a oportunidade de colocar em prática os conhecimentos acumulados assistindo às sessões de julgamento reais. “Gostei muito do projeto, porque a gente aprende que os direitos da criança existem e devem ser respeitados”, diz Joana, aluna da 4ª série da Escola Alacid da Silva Nunes.

A culminância do projeto “Juiz na Escola” em comemoração ao Dia das Crianças reuniu autoridades do Poder Judiciário, Executivo e Legislativo municipais. Estiveram presentes a juíza corregedora Kátia Parente, representando a desembargadora Nazaré Gouvea; o desembargador Leonardo Noronha Tavares, vice-presidente e corregedor do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Pará, representando as presidências do TRE e do Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Também marcaram presença o prefeito Hildefonso de Abreu e o vice-prefeito Jardison Batista.

JUIZ NA ESCOLA

O projeto foi criado pelo juiz Gabriel Costa Ribeiro em agosto de 2010 e hoje envolve cerca de mil estudantes em Abel Figueiredo. Na segunda etapa, o projeto vai simular julgamentos de personagens históricos. (Diário do Pará)

Jornal Midiamax