Política / Justiça

Após condenação, mãe de Isabella diz que “justiça foi feita”

Após a sentença que condenou Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá pela morte de Isabella, a mãe da menina, Ana Carolina Oliveira, disse neste sábado que já pode retomar a vida após todos esses dias difíceis. “Acredito que tudo o que aconteceu ontem, a condenação, foi uma resposta de que a justiça foi feita. Era […]

Arquivo Publicado em 27/03/2010, às 20h29

None

Após a sentença que condenou Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá pela morte de Isabella, a mãe da menina, Ana Carolina Oliveira, disse neste sábado que já pode retomar a vida após todos esses dias difíceis.

“Acredito que tudo o que aconteceu ontem, a condenação, foi uma resposta de que a justiça foi feita. Era o que eu esperava”, declarou.

Ana Carolina disse ainda que só conseguiu dormir hoje por volta das 5h, pois estava com dor de cabeça, e acordou mal, exausta, após a semana conturbada.

Segundo ela, o desgaste emocional nesses dias foi muito grande e, por isso, não teve condições de ir ao fórum ontem (26). Sobre a sentença, Ana Carolina declarou que ainda está assimilando os fatos. “Acredito que o juiz tenha feito a parte dele, mas ainda estou em uma fase de processamento. A ficha está caindo”, completou.

De acordo com a sentença, Alexandre foi condenado a 31 anos, um mês e dez dias de prisão por homicídio triplamente qualificado: por ter sido usado meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima, e para garantir a ocultação de crime anterior.

Duas dessas características foram consideradas agravantes, e outras duas foram adicionadas: o fato de o crime ter sido cometido contra menor de 14 anos e pela vítima ser sua filha. Nardoni foi condenado ainda a oito meses pela fraude processual.

Já Anna Carolina Jatobá foi condenada a 26 anos e oito meses de prisão, também por homicídio triplamente qualificado, com as duas características agravantes e por ter sido praticado contra menor de 14 anos. Ela também foi condenada a oito meses pela fraude processual.

Cabe recurso à decisão, mas o casal não poderá recorrer em liberdade.

Jornal Midiamax