A próxima segunda-feira (8) marca um ano dos atos antidemocráticos em Brasília e sindicatos e irão às ruas em . A ação será realizada em frente ao Sinttel (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações).

O presidente do diretório municipal do PT (Partido dos Trabalhadores), Agamenon Rodrigues, diz que o evento tem o objetivo de marcar posição contra qualquer nova tentativa de ataque à democracia.

“Os partidos que apoiaram o presidente Lula, o Brasil Popular, Brasil Sem Medo, a Central de Movimentos Populares estão realizando atos públicos em defesa da democracia. A expectativa é de que cerca de 150 a 200 pessoas se unam nesta ação. O número de manifestantes deve ser baixo devido ao recesso, muitas pessoas não estão na cidade, mas mesmo assim, não podemos deixar passar essa data”, disse.

“Queremos registrar para que o Brasil não volte a viver o que viveu ano passado, em dezembro de 2023. Estamos convidando quem tem respeito pela vontade do povo, a democracia”, completou.

Segundo o presidente do SindJor (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul), um dos organizadores do movimento, Walter Filho, é importante “relembrar os acontecimentos do 8 de janeiro do ano passado em que a extrema-direita depredou patrimônios e se recusavam a reconhecer os resultados das urnas, porque queriam impor candidato que resultava a barbárie. A sociedade rejeita qualquer ato contra a democracia”.

O ato está sendo convocado por entidades sindicais, entre elas a CUT-MS e o Sindjor MS, movimentos sociais, representantes do Poder Judiciário, e por várias outras entidades representativas da sociedade civil de Mato Grosso do Sul. Durante o evento, será lido o Manifesto da Sociedade Sul-mato-grossense em Defesa da Democracia – Nunca Mais.

Depredação dos Três Poderes

No domingo 8 de janeiro de 2023, apoiadores do ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), praticaram atos de vandalismo em . Prédios dos Três Poderes foram invadidos e depredados.

Após os atos antidemocráticos, a (Advogacia-Geral da União) pediu o bloqueio de R$ 18,5 milhões em bens de pelo menos 52 financiadores identificados.

Em Mato Grosso do Sul, 28 pessoas foram presas após envolvimento dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro. Além disso, outros 11 sul-mato-grossenses ficaram sob monitoramento por meio de tornozeleira eletrônica.

Serviços

Em Campo Grande, o ato “O Brasil se une em defesa da democracia” será às 17h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações, na Rua José Antônio, 1682.