O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não almoçou em Campo Grande após cumprir agenda na JBS, nesta sexta-feira (12). O governante participou, no período matutino, do primeiro envio de carne bovina do frigorífico à China, após novas habilitações ao país asiático. 

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, Lula escolheu descer do palanque e cumprimentar o povo, o que acabou atrasando o cronograma. 

Assim, o presidente não almoçou em Campo Grande e partiu para São Paulo, onde cumpre agenda à tarde com o setor automobilístico.

Exportações de MS

Lula durante convite a Riedel para comprar terras para indígenas em MS. (Nathalia Alcântara, Midiamax)

A JBS anunciou, nesta sexta-feira (12), durante visita do presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que vai duplicar a unidade II de Campo Grande, dobrando a capacidade de produção e a quantidade de trabalhadores em um ano. Para isso, a empresa deve investir R$ 150 milhões para transformar a unidade na maior planta de carne bovina de toda a América Latina.

A partir do investimento na unidade recém-habilitada a exportar para a China, a fábrica terá capacidade diária para processar 4.400 animais, enquanto a quantidade de colaboradores vai saltar dos atuais 2.300 para 4.600. As duas unidades da JBS de Campo Grande e uma de Naviraí receberam autorização para exportar para a China em março.

“Operamos em muitos países ao redor do mundo e nenhum deles é hoje tão atrativo quanto o Brasil para se investir no agronegócio”, disse Gilberto Tomazoni, CEO global da JBS.

Com as liberações, as unidades de produção de bovinos de Mato Grosso do Sul agora podem embarcar por um volume equivalente a 2,3 milhões de animais, acréscimo de 1,87 milhão. Antes, o número de exportação para a China alcançava um número equivalente a, no máximo, 467 mil cabeças. Considerando o share de processamento no Estado, o potencial de embarque para a China subiu de 11,4% para 57,1%.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. O anonimato é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.