Gilsimar Alves de Matos, ex-servidor público acusado pelo prefeito de Rio Brilhante, Lucas Foroni (MDB), de perseguição em rodovia no último dia 12 de abril, procurou a reportagem do Midiamax para desmentir versão apresentada em boletim de ocorrência prestado pelo gestor da cidade, que fica a 160 quilômetros de Campo Grande.

Em nota encaminhada à equipe, o homem negou a versão e afirmou que havia buscado as filhas na escola, quando passou próximo a um veículo e passou a segui-lo, para ter certeza de que era o prefeito do município, mas desconsiderou ter sido uma perseguição, de fato.

“Eu sendo um cidadão pagador de imposto, tenho o total direito de fiscalizar, e sabendo que naquele horário seria de expediente do executivo municipal, pois a prefeitura tem horário de atendimento das 07:00 as 13:00 hora, então, ao avistar um carro parecido com o do Prefeito, eu ultrapassei o veículo e abaixei o vidro para conferir se realmente era o Prefeito e a primeira dama”, relata.

“A partir de certificar que era o casal que estava no carro, também procurei saber qual o sentido que estavam indo, e também tive a certeza de que estavam indo em direção ao município de Maracaju, cidade natal da primeira-dama. E ao contrário do que ele relata, em nenhum momento faria alguma manobra que colocaria em risco minha vida e das minhas filhas”, alega ele.

Gilsimar disse, ainda, que tudo não passa de uma perseguição política, já que sua esposa é pré-candidata em oposição ao prefeito, e “nos últimos dias vem crescendo nas pesquisas”.

Em relação à sua exoneração, o ex-servidor conta que as investigações começaram após ele “bater de frente” com acúmulos de funções que, na época, eram notificados pelo Ministério Público, o que não teria sido acatado pelo chefe do executivo municipal.

Prefeito de Rio Brilhante denuncia perseguição

O prefeito de Rio Brilhante, Lucas Foroni (MDB), procurou a delegacia para registrar boletim de ocorrência, após ser perseguido em rodovia por um servidor público exonerado. O incidente ocorreu no dia 12 de abril, mas só tomou notoriedade nesta segunda-feira (20).

Conforme o boletim de ocorrência feito pelo prefeito, ele seguia sentido Rio Brilhante a Maracaju, quando percebeu que um veículo podou um caminhão em alta velocidade e começou a segui-lo, quase encostando em seu carro.

Ele conta que o ex-servidor chegou a seguir seu carro em uma velocidade de 120 quilômetros por hora, ameaçando jogar o veículo em cima de seu automóvel, fazendo manobras na pista. Depois, parou ao seu lado e começou a fazer gestos obscenos. Após alguns quilômetros, o homem retornou para a cidade e, então, o prefeito seguiu viagem.

Segundo Lucas Foroni, ele e o rapaz nunca se desentenderam, porém, recentemente ele exonerou o autor após falha grave apurada por comissão processante do município e que, desde então, vem sofrendo ameaças.

A equipe de reportagem procurou o gestor para entender o caso, mas até o fechamento desta matéria não obteve respostas. No entanto, o material segue aberto para modificação assim que emitido posicionamento.