O terceiro suplente do PSDB, Lívio Viana de Oliveira Leite, o Dr. Lívio (União Brasil), envolvido em um imbróglio judicial para tomar posse como vereador temporariamente no lugar de Claudinho Serra (PSDB), afirmou que essa é “uma novela de vários capítulos”, mas que quem deveria assumir a cadeira é Serra. 

“Na verdade, quem tinha que assumir essa vaga era o vereador Claudinho, né? Então ele tem que ter a coragem e assumir logo de uma vez essa vaga. Agora, não pode não chegar nem a cento e vinte dias, pode não chegar a trinta […] Ele vai voltar antes disso, eu imagino, tem que se livrar da tornozeleira”, afirmou Dr. Lívio. 

A declaração foi dada durante evento de lançamento de pré-candidatura de Rose Modesto à prefeitura de Campo Grande pelo União Brasil. O evento, na noite desta sexta-feira (24), conta com a presença de lideranças nacionais da sigla, como Antônio de Rueda, Presidente Nacional do União Brasil, além de Ronaldo Caiado, Governador de Goiás, e ACM Neto, ex-Prefeito de Salvador.

Dr. Lívio chegou a tomar posse como vereador na última terça-feira (21) como suplente de Claudinho Serra, mas uma decisão da Justiça Estadual, publicada no processo na quinta-feira (23), anulou o termo de posse e mandou convocar o oitavo suplente, Giancarlo Josetti Sandim, o Gian Sandim, no prazo de 48 horas. 

Serra ficou preso por 23 dias por suspeita de corrupção na Prefeitura de Sidrolândia. Após ganhar liberdade em 26 de abril, apresentou atestado médico de 30 dias e, posteriormente, um pedido de afastamento de 120 dias. Serra deve retornar para as atividades na Casa de Leis apenas em setembro, um mês antes das eleições de 2024. 

Durante o evento do União Brasil, Dr. Lívio também confessou que nem chegou a entrar na sala que pertence ao parlamentar tucano.

“A sala está fechada ainda, não tão querendo nem dar a chave […] a gente já tinha alguns nomes que estavam fazendo o admissional no IMPCG [Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande], mas não entrou ninguém ainda [da equipe dele]”, declarou. 

O ex-vereador também aproveitou a oportunidade para demonstrar o apoio a Rose Modesto para concorrer à prefeitura de Campo Grande, reforçando a capacidade e experiência demonstrado em anos de trabalho na gestão pública.

“A Rose estava gerindo um fundo de desenvolvimento do Centro-Oeste de R$ 11 bilhões que promovia o desenvolvimento de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal. Chegou a hora, esse é o momento da Rose. Campo Grande vem passando por uma série de gestões que tem levado a Prefeitura de Campo Grande ser hoje deficitária, até hoje endividada. Chegou o momento de parar isso, enxugar essa a prefeitura pra que Campo Grande possa em reinvestir e realmente se tornar a capital da América Latina com essa Rota Bioceânica”, declarou.

Briga na Justiça

Ao todo, três suplentes recorreram à Justiça para ficar com a vaga de Claudinho Serra, além de Lívio, que conseguiu aval para ser empossado, Gian Sandim (PSDB) e Wellington de Oliveira (PSDB) também apresentaram pedidos à Justiça.

A disputa judicial aconteceu porque Livio deixou o PSDB e se filiou ao União Brasil durante a janela partidária. No entanto, outros suplentes que permanecem no PSDB argumentaram que a fidelidade partidária não contemplaria suplentes, apenas vereadores com mandato ativo.

Confira a colocação de todos os suplentes do PSDB nas eleições de 2020.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, o sigilo é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.