A superintendente da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste) explicou nesta segunda-feira (6) ao Jornal Midiamax que articula com deputados federais de e senadores apoio para estender até 2028 os incentivos do órgão para empresas nas áreas de atuação.

Está pautado na projeto que estende pelo mesmo período o prazo das superintendências do Nordeste (Sudene) e da Amazônia (Sudam). As bancadas estaduais pressionam para a aprovação do texto, mas o governo resiste à inclusão da Sudeco.

O projeto (PL 4.416 de 2021) foi aprovado pelos deputados em agosto. No Senado, o texto passou em setembro com o acréscimo dos incentivos para a Sudeco, que não estava na proposta original. Os benefícios acabariam em 31 dezembro deste ano.

Rose explica que está trabalhando para não excluir a Sudeco da proposta já aprovada no Senado. “Conversei com líder da bancada dos Estados do Centro-Oeste. E também com a equipe do governo para não deixar isso acontecer”.

Em 2023, o custo estimado é de cerca de R$ 15 bilhões nas áreas da Sudam e Sudene. Não há estimativa de impacto com a inclusão da Sudeco.