O deputado estadual Rafael Tavares (PRTB) pode deixar o partido e ir para a sigla de Jair Bolsonaro, o PL, após convite do ex-presidente nesta semana em Brasília. Na capital federal para definir a questão, Tavares explica que está ‘pronto para cumprir qualquer missão' e que pode ter uma definição até quinta-feira (28), quando retorna ao Mato Grosso do Sul.

“Bolsonaro pediu minha ida ao PL e também união da direita. E o Marcos Pollon é o presidente [estadual] do PL, ele vai organizar isso da melhor forma. O importante é estarmos unidos”, afirmou.

Para Tavares, o PL é o maior partido do Brasil. “É onde a direita está se organizando. Vamos aumentar a base em 2023. Essa é a missão dada pelo Presidente Bolsonaro”, finaliza.

Contar, Pollon e Adriane

O ex-deputado estadual e ex-candidato ao governo do Estado Capitão Contar (PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) também recebeu convite para ir ao PL, mas ainda avalia a questão.

Presidente estadual do PRTB, Contar lembra que se filiou ao partido para concorrer às como candidato a governador.

“Fui filiado ao PL, por conta que o PL já estava organizado para apoiar o Riedel do PSDB, eu me desfiliei e fui para o PRTB, para que a gente pudesse lançar essa alternativa de candidato a governo”, lembrou.

Contudo, o político de direita pode retornar para a legenda visando às eleições municipais. Marcos Pollon (PL) convidou Contar para filiação ao PL novamente.

O deputado federal é uma das alternativas de direita para concorrer à Prefeitura de em 2024. Contar também teria interesse na disputa.

Além deles, a prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (PP) também é nome da direita, com apoio da senadora Tereza Cristina, que foi ministra da no governo Bolsonaro.