O deputado estadual João Henrique Catan (PL) provocou nova polêmica na sessão desta quinta-feira (9) da Alems ( Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). Desta vez, ele criticou um do Governo do Estado e foi repreendido por um colega.

Durante a votação do Projeto de Lei Complementar 3/2023, que disciplina a concessão de gratificação para servidores efetivos lotados na Casa Militar e na Defesa Civil, Catan voltou a criticar a Assembleia por aprovar outra proposta do governo.

“Esse parlamentar se sente envergonhado por não ter os meios de conseguir frear as sandices do Executivo”, disparou. Incomodado com a declaração, (PL), que é policial militar reformado e chegou a comandar a corporação, pediu que a fala não fosse registrada.

“Lamento profundamente essa manifestação do deputado João Henrique, em chamar de sandice algo que visa corrigir uma distorção de anos e que agora representa uma conquista para os militares estaduais. Gostaria que fosse retirado da fala do deputado João Henrique a expressão “sandice, porque não representa os militares de MS”, discursou.

Catan respondeu que não iria autorizar a anulação do registro da fala. “Não vou retirar a palavra. Com todo respeito a Vossa Excelência, que é colega de partido e de Casa, eu me referi a falta de transparência do governo. A sandice pra mim é essa Casa não saber o impacto financeiro disso”, rebateu. Apesar da crítica, o projeto foi aprovado com 20 votos favoráveis.

Nesta semana, o deputado ganhou a capa dos principais veículos de imprensa nacional ao utilizar o livro do ditador Adolf Hitler, “Minha Luta”, durante um discurso na tribuna. Ele se defendeu justificando que o uso foi para comparação, mas ainda assim foi criticado pelos colegas.

Catan é deputado estadual no segundo mandato, sendo reeleito em 2022 na esteira da campanha de reeleição do ex-presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). David também é bolsonarista, mas integra a base do governo na Alems.