Minha luta?

O deputado estadual João Henrique Catan (PL) causou polêmica e viralizou nacionalmente ao levar o livro 'Mein Kampf' [Minha Luta], de Adolf Hitler – no qual ele expressou suas ideias antissemitas e racialistas adotadas pelo Partido Nazista – para a tribuna da Assembleia Legislativa de MS. O deputado criticava a base do governo na Casa.

Pegou mal I

O deputado disse, com o livro em mãos: “com a apresentação de ‘Mein Kampf' de Hitler que peço para que este parlamento se fortaleça, se reconstrua, se reorganize”. Nas redes sociais, explicou que o parlamento estaria ‘se queimando, se automutilando ao derrubar um requerimento de fiscalização simplista. Não houve apologia'.

Pegou mal II

Apesar da explicação, a polêmica foi causada nas redes sociais porque no Brasil, a venda do livro é proibida em alguns lugares. Além disso, empresas como Amazon, Submarino, Shoptime e Carrefour retiraram o livro de suas lojas virtuais em 2022. A legislação brasileira, por meio da Lei do Racismo (nº 7.716/89), prevê que é crime “fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo”.

Frente parlamentar

Após greve no que alegou déficit financeiro, o deputado Pedro Pedrossian Neto (PSD) fez proposição de uma frente parlamentar em defesa de associações filantrópicas hospitalares de Mato Grosso do Sul. “Vamos institucionalizar um grupo que vai ficar atento a todos esses problemas, para que esses hospitais possam ter seu caixa fortalecido, para que possamos cumprir o dispositivo constitucional desse país que diz que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado”.

Mais Social

O deputado estadual (MDB) apresentou projeto de lei para que o programa Mais Social também possa ser usado para a compra de remédios. “Importante destacar que não se trata de aumento de despesa para o Poder Executivo, mas, apenas a inclusão de um item (medicamento) dentre aqueles passíveis de aquisição pelos beneficiários”, cita trecho de documento.

Puxão de orelha

O vereador Junior Coringa (PSD) levou um puxão de orelha do presidente da Câmara Carlos Augusto Borges, o (PSB), por não respeitar o regimento da Casa de Leis e falar mais tempo do que devia durante a sessão dessa terça-feira (7).

Ressurgindo

Com a campanha de 2024 já a todo o vapor, antigos políticos estão realizando constantes visitas na Câmara Municipal. Ex-parlamentares assistem às sessões e tem sido aperto de mãos para todos os lados na Casa de Leis.

Convite estendido

Durante a sessão, o presidente do TRE-MS afirmou que foi convidado para palestra do ministro do STF, André Mendonça. O desembargador Julizar Barbosa Trindade estendeu o convite para os colegas.

Sessão solene

Dois parlamentares de MS protocolaram requerimento para Sessão Solene no dia 18 de outubro, em homenagem ao Dia do Médico. Médicos, Geraldo Resende e Luiz Ovando assinaram cada um o próprio requerimento.