O deputado Junior Mochi (MDB) quer participar da sessão da ( Legislativa de Mato Grosso do Sul) desta terça-feira (28). O parlamentar afirmou que recebeu liberação médica nesta segunda-feira (27), após seis dias de Covid.

Ao Jornal Midiamax, Mochi disse que sentiu melhora nesta terça-feira (27). Assim, foi até a médica que o acompanhou e recebeu alta após exames.

“Na verdade eu estou licenciado até dia 30, mas como hoje eu fiz os exames e a médica me liberou, devo voltar amanhã”, destacou. O desejo de voltar para as sessões é acompanhado de cuidado redobrado.

“Estou voltando devagar”, garantiu sobre o retorno às atividades legislativas. Mochi afirmou que foi diagnosticado com Covid leve. Então, passou por um tratamento de cinco dias com antibióticos.

O deputado testou positivo para Covid na última quinta-feira (23). No mesmo dia, o colega Pedro Kemp (PT), pediu que os parlamentares realizem exames de rotina.

Deputado sugere check-up na Alems

Pedro Kemp (PT) recomendou durante sessão da Alems que os colegas façam exames regulares. “Sugiro que todos os deputados estejam com seus exames em dia, com seus check-ups em dia, para que possamos nos cuidar mais. Política não se consome e a gente precisa cuidar da saúde”, disse.

Inicialmente, a informação era de que Mochi sofreu uma crise de pressão alta, mas o gabinete informou que era resfriado. “Não procede essa informação [de pressão alta]. Ele não foi internado, ele apenas não estava se sentindo bem devido a um resfriado, porém está em recuperação em casa e medicado, e passa bem”, diz o comunicado enviado pela assessoria de imprensa do deputado.

Colega de bancada de Mochi, Marcio Fernandes avaliou que tantos problemas de saúde na Casa são motivos de preocupação e de alerta.

“Acredito que sim. Até a questão emocional, é o que tá pesando mais. Foi muito rápido, principalmente a do Amarildo. Passamos a do [Cabo] Almi há pouco tempo”, afirmou, garantindo também que fez check-up recentemente.

Há duas semanas, o deputado estadual José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, foi internado no Hospital Cassems Campo Grande com dores no peito (angina). Ele passou por uma cirurgia de cateterismo e foi liberado. Porém, na semana passada, ele voltou a sentir dores e foi internado novamente. Passou por novo cateterismorecebeu alta e se recupera em casa.

Enquanto Zeca ainda estava na segunda internação, outro parlamentar precisou ir ao hospital. (PT) teria dado entrada no Proncor com quadro de miocardite, mas a família evitou dar detalhes.

Após duas paradas cardiorrespiratórias, o petista não resistiu e morreu no dia 17 de março. Ele foi velado na Alems e sepultado no dia 18 em Presidente Epitácio (SP).