O vereador Otávio Trad (PSD) considera a possibilidade de o passe de ônibus chegar a R$ 8 ‘inexplicável’. Segundo o parlamentar, reajuste ‘sempre foi preocupante’, ainda mais em um patamar de quase 100%.

“Todo suporte financeiro para não impactar para o usuário e para economia foi concedido pelo executivo e pelo legislativo, desde isenção de ISS até subsídio e o consórcio sempre alegando dificuldade financeira”, relembra o vereador.

Para ele, discussão como essa vai na ‘contramão do pensamento moderno de mobilidade, enquanto o passe livre municipal tem crescido no País e no exterior’. O modelo seria forma de fomentar a economia e mobilidade.

“Estamos retrocedendo ao encarecer, prejudicando a economia, o bolso do contribuinte e o comércio em geral”, conclui.

Passe de ônibus

Anualmente avaliada em novembro, o Consórcio Guaicurus considera que o reajuste da passagem do transporte público de Campo Grande pode chegar a R$ 8. A negociação será debatida com a Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande) para ser válida em 2023.

Atualmente, a tarifa custa R$ 4,40 aos passageiros, mas de acordo com o diretor-executivo do consórcio, Robson Strengari, o novo preço considera diversos fatores, como a alta do combustível e INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor).