Política

Eleições 2022: saiba quais deputados de MS pretendem disputar a reeleição

14 deputados vão entrar na disputa para retornarem ao cargo

Renata Volpe Publicado em 06/01/2022, às 11h44

Mais da metade dos deputados estaduais de MS vão disputar a reeleição em 2022
Mais da metade dos deputados estaduais de MS vão disputar a reeleição em 2022 - Arquivo, Jornal Midiamax

Mais da metade dos deputados estaduais de Mato Grosso do Sul pretende disputar à reeleição nas eleições de 2022. Alguns analisam ainda a troca de partido durante a janela partidária, em abril.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com os 24 parlamentares e 14 responderam que pretendem entrar na disputa almejando o retorno ao cargo. João Henrique Catan (PL) se colocou à disposição do partido para disputar a eleição para o governo estadual.

Devem escolher novos partidos este ano, os deputados Coronel David e Jamilson Name, que estão sem legenda desde 2019. David pode se filiar ao PL ou PP e a decisão deve acontecer até o fim deste mês. Já Name pode tentar a reeleição no Podemos, conforme adiantou ao Midiamax

A reportagem apurou ainda a troca de legenda dos deputados Neno Razuk, atualmente no PTB, e de Lucas de Lima, que está no Solidariedade. No entanto, eles não confirmam em qual sigla vão disputar as eleições. Razuk disse que vai esperar. “Vou esperar a janela partidária para ter uma definição”.

Os parlamentares que pretendem disputar novamente a cadeira na Alems, são: Evander Vendramini (PP), Coronel David, Pedro Kemp (PT), Mara Caseiro (PSDB), Marcio Fernandes (MDB), Jamilson Name, Amarildo Cruz (PT), Antônio Vaz (Republicanos), Barbosinha (DEM), Gerson Claro (PP), Lídio Lopes (Patriota), Paulo Duarte (MDB) e Neno Razuk. O presidente da Alems, Paulo Corrêa (PSDB) também é candidato à reeleição, conforme adiantado pela assessoria de imprensa. 

Duarte assumiu em 3 de dezembro do ano passado, a cadeira deixada pelo hoje secretário de Governo, Eduardo Rocha (MDB). Questionado se deve disputar a reeleição pelo MDB, o ex-prefeito de Corumbá respondeu que vai esperar para tomar a decisão. “Vou esperar, como a maioria dos deputados, as definições até o fim de março”.

Já Catan, se colocou à disposição do partido para disputar as eleições como candidato ao governo estadual. “Mato Grosso do Sul poderá ter o governador mais novo da história, se isso for interessante ao partido e se somar para a eleição do presidente Bolsonaro”, afirmou.

Jornal Midiamax