Com a saída do deputado (MDB) da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energisa, o deputado (PL) foi escolhido como novo membro da Comissão.

O motivo da saída de Renato é desconhecido por Márcio Fernandes, que informou a substituição do deputado ao Jornal Midiamax. De acordo com Márcio, o nome de Catan foi escolhido após conversa com o bloco parlamentar G9 — composto pelo MDB, DEM, PT, PTB e Patriotas.

À reportagem, Catan confirmou a entrada na CPI e lembrou que já questionou judicialmente os protestos das contas dos consumidores da Energisa. “Isso está prestes a ser analisado pelo TJMS”, afirmou.

Segundo ele, “será um prazer poder investigar a existência de irregularidades nos relógios medidores de energia dentro da CPI, ainda mais com o trabalho da USP Politécnica”. A oficialização da substituição deve acontecer na quarta-feira (11).

CPI da Energisa

A CPI da Energisa foi instaurada pela Mesa Diretora da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) em 12 de novembro de 2019. A comissão tem como objetivo apurar irregularidades no sistema de medição de energia elétrica e na leitura de consumo de energia. A CPI é presidida pelo deputado (PSD) e tem como relator o deputado Capitão Contar (PL).