O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), divulgou novos nomes que integrarão a equipe de transição do governo de Luiz Inácio da Silva (PT). Entre as figuras, está a sul-mato-grossense Aparecida Gonçalves, que atuou como Secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.

Aparecida Gonçalves faz parte do núcleo de mulheres, junto com Anielle Franco, irmã de Marielle Franco, assassinada em 2018 no Rio de Janeiro. Outros quatro nomes compõem o núcleo que tratará de assuntos relacionados a mulheres.

Vale lembrar que a comissão de transição já conta com a senadora Simone Tebet (MDB), que coordena o núcleo social. O núcleo coordenado por Tebet é visto como um dos principais, pois trata do Auxílio Brasil.

Aparecida Gonçalves é natural de Clementina (SP), mas afirmou ser sul-mato-grossense de coração por ter vivido no Estado entre 1988 e 2000, época em que se candidatou ao cargo de vereadora pelo PT (Partido dos Trabalhadores).

Militante e ativista do movimento de mulheres e movimento feminista, é especialista em gênero e violência contra a mulher.

Atuou como assessora técnica e política da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Mulher e Assessora da Coordenadoria de Atendimento a Mulher da Secretaria de Estado de Cidadania e na gestão do então governador José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT.

Entre 2003 e 2012, atuou como secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.