Política

Vereadores de Campo Grande lamentam morte de Gustavo, dentista vítima de homofobia

O episódio de homofobia foi repudiado pela Câmara durante sessão ordinária

Dândara Genelhú Publicado em 14/10/2021, às 10h18

None
Foto: Reprodução.

Nesta quinta-feira (14), vereadores de Campo Grande lamentaram a morte do cirurgião dentista Gustavo Lima, de 27 anos. O profissional foi encontrado morto nesta manhã na própria casa e havia passado por episódio de homofobia enquanto trabalhava na campanha de vacinação contra Covid-19.

Assim, durante a sessão ordinária, o vereador Valdir Gomes (PSD) afirmou: “A gente queria render nossas homenagens à família toda”.

“Ele não aguentou toda a pressão. É lamentável, a gente estar registrando, no fim da pandemia, receber essa notícia em que o Gustavo apareceu morto em sua própria casa”, lastimou o vereador. Isso porque o cirurgião dentista participou do processo de imunização contra Covid-19, aplicando doses na população de Campo Grande.

Foi em um dos dias que participava do combate contra o coronavírus que Gustavo sofreu homofobia. Na ocasião, uma mulher que aguardava para vacinar a filha usou termo preconceituoso para se referir à orientação sexual do profissional e recusou a aplicação da dose feita por ele.

A vereadora Camila Jara (PT) também lamentou a morte do cirurgião. “Mais uma pessoa nos deixou, nos deixou depois de ser vítima no país que mais mata LGBTQIA+ por causa da homofobia”. Precisamos investir em políticas estatais para conscientizar a população de que temos que aceitar o diferente.

Ela afirmou que é preciso criar políticas estatais para conscientização da população, para que aceitem as diferenças. “Não é possível, que deixamos a palavra do Gustavo aqui nessa Casa e não pensamos em ações para acabar com esse quadro [de homofobia]”, destacou emocionada.

Sandro Benites (Patriotas) propôs moção de pesar pelo falecimento de Gustavo. A moção recebeu solicitação para ser assinada pela Casa, devido à importância do profissional.

Repercussão do caso

O caso de homofobia contra Gustavo aconteceu em 21 de agosto. Após o ocorrido, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) emitiu uma nota: “A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) manifesta o seu mais profundo repúdio ao episódio de homofobia ocorrido no sábado, dia 21 de agosto, no drive de vacinação Albano Franco”.

Logo após, o prefeito Marquinhos Trad repudiou o fato cometido durante a vacinação: “Nossa cidade repudia e lamenta o ato cometido por aquela senhora. Ela já deve ter sentido a dor e visto o equívoco dela e que isso não aconteça mais”.

No dia 24 de agosto, durante sessão na Câmara Municipal de Campo Grande, os vereadores manifestaram repúdio aos atos de homofobia praticados contra o cirurgião-dentista Gustavo dos Santos Lima.

Jornal Midiamax