Política

Projeto pretende ampliar atuação de núcleo para guiar decisões da prefeitura pela Ciência

Prefeitura de Campo Grande apresentou projeto à Câmara para ampliar alcance de grupo que atua em conjunto com universidades.

Jones Mário Publicado em 18/02/2021, às 14h59

NEv de Campo Grande é o primeiro do Estado (Foto: Divulgação/PMCG)
NEv de Campo Grande é o primeiro do Estado (Foto: Divulgação/PMCG) - NEv de Campo Grande é o primeiro do Estado (Foto: Divulgação/PMCG)

A prefeitura de Campo Grande mandou projeto de lei para a Câmara de Vereadores a fim de ampliar a área de atuação do NEv (Núcleo de Evidências). Hoje, a plataforma de elaboração, síntese e divulgação de conhecimento científico atende apenas a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública).

O texto estende o alcance do NEv a outras secretarias, autarquias e fundações do município. Por outro lado, mantém o grupo na estrutura da Sesau.

Primeiro do tipo em Mato Grosso do Sul, o NEv foi criado em 2019 pela prefeitura de Campo Grande. No mesmo ano, a Sesau assinou convênios com a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) para implantar o grupo de apoio.

Além de ampliar o alcance, o projeto apresentado hoje (18) aos vereadores prevê que o NEv promova e facilite o uso de evidências científicas para guiar as tomadas de decisões, bem como subsidiar as ações em políticas públicas dos gestores municipais.

Em mensagem, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) apontou que “quantidades enormes de informação, muitas vezes contraditórias e de diferentes fontes” são despejadas durante uma tomada de decisão no poder público. “Neste sentido, a pesquisa científica é uma fonte utilizada […], aumentando sua confiabilidade e seus resultados”, completou.

A prefeitura pediu que a proposta tramite em regime de urgência.

Jornal Midiamax