Cotidiano

Instituições assinam implantação do Núcleo de Evidência na Faculdade de Medicina da UFMS

UFMS Dirigentes da UFMS, do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estiveram reunidos hoje (17) pela manhã na Universidade. O objetivo foi a assinatura de acordos de cooperação para a implantação do […]

Diego Alves Publicado em 17/12/2019, às 20h37

Assessoria
Assessoria - Assessoria

UFMS

Dirigentes da UFMS, do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS), da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estiveram reunidos hoje (17) pela manhã na Universidade. O objetivo foi a assinatura de acordos de cooperação para a implantação do Núcleo de Evidências (NEv) na Faculdade de Medicina (Famed) da UFMS.

Criado em maio de 2019, o Núcleo é o primeiro do Estado de Mato Grosso do Sul e um dos poucos existentes no país. O objetivo é facilitar o uso de evidências científicas para informar o gestor de políticas públicas de saúde no processo de tomada de decisão.

“É sem dúvida um projeto estratégico para MS e Campo Grande, que envolve várias instituições de ciência em prol da assistência à saúde, das políticas públicas nesta área. Agradeço a confiança com relação às nossas instituições”, disse o Reitor Marcelo Turine.

O secretário municipal de saúde, José Mauro Filho, ressaltou que a Universidade é parceria da prefeitura desde o início do Núcleo e em outros projetos, “e agora com a parceria de outras instituições teremos a somatória de esforços. Entendemos que é o conhecimento que irá fazer a diferença em relação às nossas políticas públicas de saúde, principalmente no que tange à judicialização. O núcleo vem para auxiliar o poder judiciário nas tomadas de decisões, contribuir para que as situações sejam analisadas baseadas em evidências”, explicou.

Conforme divulgado pela Sesau, “as atividades básicas do NEv consistem na produção de estudos primários (revisões sistemáticas), overviews, scoping reviews; revisões rápidas, avaliações econômicas; produção de sínteses de evidências; preparação de diálogos deliberativos; elaboração de produtos de tradução científica; promover a divulgação científica; e desempenhar outras atividades da área de atuação”.

“Nossas instituições têm missões que de maneira geral são convergentes. Temos feito um esforço para que a Fiocruz trabalhe de maneira sistêmica e que se consolide nos territórios, e desde que ela começou a ser gerida em cada estado temos contado com a parceria da UFMS, e posteriormente da UEMS em projetos muito interessantes. Agradeço a cada um de vocês a parceria e confiança em mais esse projeto. Juntos sempre conseguimos mais, estamos no caminho certo”, afirmou a diretora da Fiocruz MS, Jislaine Guilhermino.

O diretor da Famed, Marcelo Luiz Brandão Vilela, evidenciou que o NEv traz à tona discussões importantes e vem para mostrar protocolos e atitudes que contribuem para o tratamento e prevenção de doenças do cidadão. “Com o Núcleo evidenciamos que nem sempre o medicamento ou tratamento mais caro é o melhor, nem o que se faz rotineiramente também. O NEv vem para esclarecer essas dúvidas, para enfrentarmos o grande desafio que é colocar o conhecimento fruto de estudos na prática”, lembrou.

“Nossa finalidade como Hospital Universitário é a formação, o ensino, a pesquisa, a busca pela melhor forma de atender por meio do conhecimento. O NEv vem reforçar essa identidade acadêmica e também contemplar o nosso atendimento à população. O Humap-UFMS está à disposição de todos os parceiros aqui”, salientou Maria de Fátima Meinberg Cheade, representando o superintendente do Humap-UFMS, Cláudio César da Silva.

“A primeira turma de Medicina da UEMS está em formação, mas chegamos para contribuir com os desafios da saúde pública de Campo Grande e de MS. Gostaria de registrar aqui nossa gratidão, vocês são nossos parceiros e reafirmar que estamos aqui para somar esforços nesse sentido”, declarou o reitor da UEMS Laércio Alves de Carvalho.

O procurador-Chefe da Coordenadoria Jurídica da Saúde (Cjur/SES), Kaoye Guazina Oshiro, revelou que testemunha diariamente o trabalho do NEv e que é fabuloso. “A utilização das evidências científicas aplicadas à judicialização é essencial. Sempre imaginamos que os médicos prescrevem baseados nas melhores evidências e nem sempre essa é uma realidade, então toda judicialização nasce na caneta de um médico. O NEv é muito importante mudarmos o panorama da judicialização da saúde hoje”, ressaltou.

A coordenadora do Núcleo de Evidência, Sandra Maria do Valle Leone de Oliveira, agradeceu o esforço de todos os parceiros para a criação do NEv. “É fruto de uma construção alinhada por muitas pessoas. Vimos que produzíamos muito conhecimento e muitas vezes não conseguíamos nos dedicar a esse conhecimento global para que fosse utilizado pela sociedade e pelos gestores, pelos tomadores de decisões. Então a partir de demandas evidenciadas por uma rede desenvolvemos o Núcleo. Esperamos contribuir muito para a saúde, criar mesmo uma cultura de uso de evidência na tomada de decisão”, finalizou.

Jornal Midiamax