Política

‘Falta lerem mais’, critica Resende após vereadores de Campo Grande enterrarem passaporte da vacina

Secretário estadual de Saúde defende a ciência e diz que os vereadores foram equivocados

Renata Volpe Publicado em 19/11/2021, às 12h06

Vereadores foram contrários à criação do Passaporte da Vacina em Campo Grande
Vereadores foram contrários à criação do Passaporte da Vacina em Campo Grande - Câmara Municipal de Campo Grande, Divulgação

Falta lerem mais, buscarem mais informações, olharem o mapa do mundo todo. Esta é a crítica que o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, fez aos vereadores de Campo Grande que enterraram o projeto de lei com o Passaporte da Vacina. 

O projeto não foi nem aprovado na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e, quando levado para votação em plenário na última quinta-feira (18), foi rejeitado com 13 votos a 4. Onze vereadores não participaram da sessão e, como não votaram, ajudaram a enterrar a proposta.

Sobre isso, Resende comentou que os vereadores foram equivocados. “Acho que estão equivocados, estão sendo levados pelo viés ideológico por defender aquilo que indica liderança que seguem a nível nacional”. 

Conforme Resende, o mundo mostra que os vereadores estão errados com o posicionamento. “Olhem o que está acontecendo na Bélgica, Holanda, Alemanha, Rússia, países do leste europeu, mostra que estão redondamente enganados, para não dizer que estão na trincheira do anticiência, para não dizer que estão fazendo apologia da morte e não da vida”.

Geraldo Resende ainda disse que em determinado momento os políticos vão voltar à lucidez. “Falta a eles lerem mais, maiores informações, olharem o mapa do mundo todo, nos Estados Unidos, os estados que não vacinam são os que têm mais mortes”.

De acordo com o secretário de Saúde, Mato Grosso do Sul é exemplo. “A terra deles. É só ver que quanto mais vacinou, mais caíram as internações, casos e óbitos. Se isto não é ciência, eu não sei. Não sei por que cargas d'água eles têm essa posição”.

Jornal Midiamax