Política

Tereza Cristina e Murilo discutem destino do DEM para eleições em Campo Grande

A ministra da Agricultura Tereza Cristina (DEM) e o vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura, Murilo Zauith (DEM), reuniram-se na manhã desta quinta-feira (11). Presidente dos Democratas em MS, Murilo registrou a conversa em suas redes sociais. Na pauta do partido, está o destino do DEM em Campo Grande. Apesar do ex-ministro Luiz Henrique […]

Danúbia Burema Publicado em 11/06/2020, às 14h57 - Atualizado em 07/07/2020, às 21h28

(Reprodução Instagram)
(Reprodução Instagram) - (Reprodução Instagram)

A ministra da Agricultura Tereza Cristina (DEM) e o vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura, Murilo Zauith (DEM), reuniram-se na manhã desta quinta-feira (11). Presidente dos Democratas em MS, Murilo registrou a conversa em suas redes sociais. Na pauta do partido, está o destino do DEM em Campo Grande.

Apesar do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta adiantar apoio à reeleição do prefeito Marquinhos Trad (PSD), uma ala do partido defende candidatura própria na Capital, com a defesa de que há bons quadros para lançar na disputa. Para Murilo, o ‘laço familiar’ do ex-ministro com o atual prefeito fala mais forte do que questões partidárias.

Enquanto isso, o diretório municipal provisório permanece no aguardo das decisões de Brasília (DF) sobre os rumos a serem tomados. Atualmente, o comando da legenda na Capital foi repassado pelo presidente nacional do partido, Antônio Carlos Magalhães Neto, ao advogado Lucio Flavio Joichi Sunakozawa.

Com a saída de Mandetta do Ministério da Saúde, o partido voltou a esperar uma ‘versão final’ sobre candidatura ou apoio nas eleições de 2020 e a decisão deve vir de ‘lideranças’. Toda a discussão, contudo, passará pelo partido, garante o presidente provisório.

Já a executiva regional, que estava vencida desde maio, ganhou mais quatro meses de prorrogação para regularizar sua situação no Estado. Por não ter renovado oficialmente suas lideranças, o DEM estava impedido até de realizar pagamentos. Mesmo tendo iniciado o ano com dois ministros em sua composição, a executiva do DEM em MS não agendou convenção partidária, ao contrário de outras legendas que há meses estão organizando diretórios.

Jornal Midiamax