Política

CPI da Energisa suspende prazo para concluir investigação devido ao coronavírus

Os integrantes da CPI da Energisa deliberaram a suspensão dos prazos para conclusão das investigações sobre eventuais irregularidades nas contas de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, durante reunião extraordinária realizada na terça-feira (17).  A decisão foi anunciada após a Mesa Diretora da ALMS (Assembleia Legislativa) determinar a suspensão das atividades parlamentares ...

Renata Volpe Publicado em 18/03/2020, às 11h22

Presidente e vice-presidente da CPI da Energisa, Felipe Orro e Capitão Contar. (Carlos Henrique Wilhelms, Divulgação)
Presidente e vice-presidente da CPI da Energisa, Felipe Orro e Capitão Contar. (Carlos Henrique Wilhelms, Divulgação) - Presidente e vice-presidente da CPI da Energisa, Felipe Orro e Capitão Contar. (Carlos Henrique Wilhelms, Divulgação)

Os integrantes da CPI da Energisa deliberaram a suspensão dos prazos para conclusão das investigações sobre eventuais irregularidades nas contas de energia elétrica em Mato Grosso do Sul, durante reunião extraordinária realizada na terça-feira (17). 

A decisão foi anunciada após a Mesa Diretora da ALMS (Assembleia Legislativa) determinar a suspensão das atividades parlamentares por 15 dias, devido ao aumento dos casos de contágio pelo coronavírus.

O presidente da CPI, Felipe Orro (PSDB) falou sobre a decisão. “Suspenso por 15 dias os trabalhos, consequentemente com toda a Assembleia fechada, suspendem-se também os prazos da CPI e outras comissões”. 

Porém, mesmo de os prazos estarem suspensos, os trabalhos administrativos da CPI continuam. “Nosso relator já tinha uma programação apresentada e nós vamos seguir essa programação”, disse.

O deputado Capitão Contar (PSL), é o relator da Comissão e divulgou que a Energisa já começa a partir desta quarta-feira (18) a retirada dos relógios nas casas dos consumidores sorteados

Os equipamentos passarão por perícia na Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos. Segundo Contar, a Energisa tem um prazo de 7 dias úteis para retirar os 200 relógios. “A partir daí haverá transporte para a universidade que dará início à análise. Tudo isso enquanto a Assembleia cumpre a determinação de hoje sobre a suspensão de 15 dias. Então o fato de a Assembleia não funcionar, não afeta os trabalhos que acontecem externamente à Casa”, reforçou Contar.

Jornal Midiamax