Um grupo de cerca de 30 mulheres faz manifestação nesta terça-feira (3) na de após o deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB) reclamar que uma mulher teria mostrado a calcinha em frente a uma igreja no Carnaval. A Casa acionou reforço da , que compareceu com sete policiais da Cavalaria e surpreendeu o pequeno grupo de mulheres.

Assembleia aciona cavalaria da PM por protesto de mulheres com calcinhas
PM a cavalo esperava desde cedo por grupo de mulheres

Além dos cavalos, a segurança da Casa foi reforçada com mais policiais. Quatro deles com motos no estacionamento. “Muitas mulheres são vítimas de violência diária, com casos de feminicídio e tem deputado perdendo tempo falando sobre calcinha. São pessoas escolhidas para elaborar leis que pensem no bem-estar da população, não em pauta sem fundamento”, reclamou a professora universitária Bartolina Ramalho Catanante.

Cristiane Duarte, diretora executiva de uma revista, criticou a falta de políticas públicas voltadas para as mulheres. “Não temos representação política nenhuma. Não tem deputada mulher na Assembleia. E a fala do deputado só mostra o medo que existe com a presença das mulheres”, observou.

A diretora também disse repudiar a ideia de mulheres nos partidos apenas para preenchimento de cota parlamentar. “Esses deputados precisam pensar em colocar mulheres para efetivamente disputarem uma eleição, em condições de igualdade, não para preencher cota. Mulher não tem que estar no coração dos políticos, mas nos atos”, disse.

Assembleia aciona cavalaria da PM por protesto de mulheres com calcinhas
No plenário, elas pedem que deputado se desculpe

Após o protesto com calcinhas em frente à Assembleia, as manifestantes acompanham a sessão desta terça com um varal de calcinhas montado no plenário. Elas pedem que o deputado peça desculpas pela fala.

Mostrando a calcinha

Enquanto discutiam sobre a possibilidade de criação de uma arena para que fosse realizado o Carnaval de rua e também de melhoria no plano de policiamento, após reclamação de comerciantes do Centro que tiveram suas lojas vandalizadas, o deputado Rinaldo Modesto criticou a postura de algumas das pessoas que frequentam a festa.

Segundo o parlamentar, “muitas pessoas estavam agredindo verbalmente quem estava indo para o culto, por exemplo. Teve uma mulher que baixou a calcinha em frente a uma igreja. Gente querendo ir para o culto e tendo que ver aquilo”, reclamou.