Política

Três mulheres de MS são homenageadas com diploma no Senado

Duas das três mulheres de Mato Grosso do Sul indicadas ao Diploma Bertha Lutz participaram de cerimônia de homenagem no Senado Federal nesta terça-feira (26), em Brasília. A bancada feminina indicou os nomes no dia 12 de março. Entregue pelo Senado desde 2001, o Diploma Bertha Lutz é entregue para mulheres que celebra o protagonismo […]

Mariane Chianezi Publicado em 26/03/2019, às 15h12 - Atualizado às 18h26

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação

Duas das três mulheres de Mato Grosso do Sul indicadas ao Diploma Bertha Lutz participaram de cerimônia de homenagem no Senado Federal nesta terça-feira (26), em Brasília. A bancada feminina indicou os nomes no dia 12 de março.

Entregue pelo Senado desde 2001, o Diploma Bertha Lutz é entregue para mulheres que celebra o protagonismo feminino na sociedade. O nome do diploma é uma referência a Bertha Lutz, precursora no Brasil na luta pelo direito de voto às mulheres, conquistado em 1932.

Os nomes sul-mato-grossenses indicados foram da cantora Delanira Gonçalves, a “Delinha”; a promotora de Justiça Jaceguara Dantas Passos e a violeira Helena Meirelles, que faleceu em 2005, recebeu a homenagem in memoriam.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) ressaltou que muitas das agraciadas ajudaram a abrir o caminho para que mulheres estejam exercendo mandatos hoje no Senado e na Câmara dos Deputados. Para ela, a sessão de entrega do diploma Bertha Lutz é a sessão solene mais importante do Congresso Nacional.

Quem foi Bertha Lutz

Bertha Lutz (1894-1976) é uma referência para o movimento feminista no Brasil. Ela foi a segunda mulher a se tornar deputada federal na história do país. A primeira foi Carlota Pereira de Queirós. Bertha era formada em Biologia e Direito e foi a primeira mulher a integrar uma delegação diplomática brasileira, em 1945, na conferência em que foi redigida a Carta das Nações Unidas. Ela também integrou a delegação brasileira à Conferência do Ano Internacional da Mulher, no México, em 1975.

Jornal Midiamax