Política

Reinaldo ressalta ‘harmonia’ com legislativo e avalia novas Mesas da Câmara e Senado

O texto final da reforma da previdência ainda está sendo discutido pela equipe do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reafirma seu compromisso com a aprovação da proposta. Ele destaca que o apoio não se dá pela sintonia com o Governo Federal e, sim, “pelas pessoas”. Ele afirma que a previdência […]

Maisse Cunha Publicado em 04/02/2019, às 12h13

(Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)
(Foto: Marcos Ermínio/Midiamax) - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

O texto final da reforma da previdência ainda está sendo discutido pela equipe do presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reafirma seu compromisso com a aprovação da proposta. Ele destaca que o apoio não se dá pela sintonia com o Governo Federal e, sim, “pelas pessoas”.

Ele afirma que a previdência impacta diretamente estados e municípios e, caso a aprovação ocorra, mais recursos sobrarão para áreas essenciais, como saúde, educação e segurança. “Não vamos fazer isso para o Bolsonaro e sim para a população, que precisa dessas reformas, se não o País não avança”, disse, em entrevista coletiva nesta segunda-feira (4).

Reinaldo comentou, ainda, a nova composição das Mesas Diretoras da Câmara dos Deputados e Senado Federal. Ele garante que os novos presidentes, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Davi Alcolumbre (DEM-AP), “são antenados” com as pautas econômicas e as conduzirão com apreço.

“Rodrigo Maia esteve aqui, teve os votos necessários para ganhar no primeiro turno, é uma pessoa antenada e sintonizada com a pauta econômica. Conheço o Davi, que foi uma mudança importante no Senado”, avalia.

Azambuja participou da solenidade de abertura dos trabalhos legislativos e ressaltou o “trabalho respeitoso e harmônico” da Assembleia Legislativa com o Executivo Estadual, revelando que ainda faz ajustes no texto do PDV (Programa de Aposentadoria Voluntária), prioridade do Governo no controle da folha de pagamento.

“Mesmo diante da pior crise financeira, o parlamento foi parceiro para tomadas de decisões importantes que não deixaram Mato Grosso do Sul sucumbir, como outros estados. Vimos pelo menos 6 estados decretando estado de calamidade financeira no início do ano e isso mostra a importância das reformas que fizemos”, finaliza.

Jornal Midiamax