Política

Promotora de MS recebe prêmio de Moro por atuação no sistema prisional

A promotora de Justiça do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) Regina Dornte Broch recebeu das mãos do ministro da Justiça, Sérgio Moro, o prêmio “Selo Resgata”, dado pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional), por seu “engajamento na política pública de geração de trabalho e renda para as pessoas privadas de liberdade e egressos […]

Daiany Albuquerque Publicado em 07/05/2019, às 17h38 - Atualizado em 08/05/2019, às 09h33

Promotora Regina Dornte Broch ao lado do ministro da Justiça Sérgio Moro e do juiz Albino Coimbra (Foto: Divulgação MPMS)
Promotora Regina Dornte Broch ao lado do ministro da Justiça Sérgio Moro e do juiz Albino Coimbra (Foto: Divulgação MPMS) - Promotora Regina Dornte Broch ao lado do ministro da Justiça Sérgio Moro e do juiz Albino Coimbra (Foto: Divulgação MPMS)

A promotora de Justiça do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) Regina Dornte Broch recebeu das mãos do ministro da Justiça, Sérgio Moro, o prêmio “Selo Resgata”, dado pelo Depen (Departamento Penitenciário Nacional), por seu “engajamento na política pública de geração de trabalho e renda para as pessoas privadas de liberdade e egressos do sistema prisional”.

A cerimônia foi realizada na segunda-feira (6), em Brasília (DF) e também contou com a presença do juiz da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, Albino Coimbra Neto. A homenagem é destinada às empresas, órgãos públicos e empreendimentos de economia solidária que contratam presos, egressos do sistema prisional e pessoas que estão cumprindo penas alternativas.

O Selo Resgata foi criado em novembro de 2017 e tem por objetivo dar visibilidade positiva para as entidades que colaboram com a reintegração social dessas pessoas com a oferta de vagas de trabalho. O primeiro ciclo de certificação, 2017/2018, contemplou 112 instituições em todo o país. Este ano, 198 empresas públicas e privadas, de 15 estados foram habilitadas com o “Selo Resgata” 2019/2020.

No Brasil são 5.603 presos e egressos empregados por empresas públicas e privadas nos estados de: Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, além de Mato Grosso do Sul. (Com assessoria)

Jornal Midiamax