Política

Quantidade de pré-candidatos aumenta e clima eleitoral chega à Câmara

Partidos têm até 5 de agosto para escolher nomes que estarão nas urnas em outubro

Richelieu Pereira Publicado em 08/06/2018, às 10h34 - Atualizado em 20/07/2020, às 01h48

Vereadores durante sessão na Câmara de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)
Vereadores durante sessão na Câmara de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG) - Vereadores durante sessão na Câmara de Campo Grande. (Foto: Izaias Medeiros/CMCG)

As convenções partidárias para escolher candidatos e definir coligações ocorrem entre 20 de julho e 5 de agosto. De olho na seleção final, aumentou o número de vereadores pré-candidatos à promoção ao legislativo estadual ou federal, o que faz com que o clima de ano eleitoral comece a se instalar na Câmara de Campo Grande.

No primeiro levantamento do Jornal Midiamax, no início de março, dos 29 parlamentares da Capital, apenas seis se apresentavam como pré-candidatos, enquanto outros sete aguardavam decisão das legendas, e sobravam os que dizem com convicção que a meta seria completar os quatro anos no Legislativo da Capital.

Faltando pouco mais de um mês para as convenções, alguns dos que falavam ter apenas intenção já se apresentam como pré-candidatos e este grupo ganhou corpo com a inclusão dos indecisos que foram oficializados pelos partidos.

A bancada evangélica sempre foi a mais convicta em participar do pleito de outubro, cujas pré-campanhas estão estabelecidas com alguns já tendo feito diversas viagens ao interior do Estado. Fazem parte deste conjunto Pastor Jeremias Flores (Avante), Papy (SD), Betinho (PRB), Gilmar da Cruz (PRB) e Junior Longo (PSB).

Gilmar da Cruz almeja ser suplente na campanha de reeleição de Pedro Chaves (PRB) ao Senado, enquanto Jeremias, Betinho e Longo querem ir para a Assembleia Legislativa e Papy para a Câmara dos Deputados. Lucas de Lima (SD) é outro que está na estrada a meses para conquistar uma vaga no Legislativo estadual.

Essa turma ganhou a companhia de André Salineiro (PSDB), Dr. Loester (MDB), Wilson Sami (MDB), Delegado Wellington (PSDB), William Maksoud (PMN), Cazuza (PP), Vinícius Siqueira (DEM), Chiquinho Telles (PSD), que se anunciam como pré-candidatos. A maioria quer uma cadeira na Assembleia, apenas Sami vai tentar mandato entre os deputados em Brasília.

Com essa situação, os discursos na Câmara ganham um novo significado, o que é apontado pelos próprios parlamentares. Em recente discussão na Câmara, enquanto falava como líder do prefeito, Chiquinho Telles foi indagado sobre o discurso ter alguma relação com o fato de ter sido confirmado como postulante nas eleições.

O recente debate sobre a possibilidade de redução da tarifa de ônibus, devido à diminuição da alíquota do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) pelo Governo estadual, também levantou suspeita de ser usada para fins eleitoreiros, segundo o prefeito Marquinhos Trad (PSD), que foi enigmático ao comentar o assunto em coletiva na quinta-feira (7).

Os vereadores Vinicius Siqueira e Odilon de Oliveira Junior (PDT) levantaram essa questão durante sessão no plenário da Câmara. O primeiro é pré-candidato a ser deputado estadual e o segundo se diz a disposição caso seja convocado pelo partido a participar do pleito, embora faça a coordenação da campanha do pai na disputa ao Governo do Estado.

A confirmação das pré-candidaturas também gerou frustração para alguns parlamentares. Dharleng Campos (PP) gostaria de ser concorrente a uma cadeira na Assembleia, mas a executiva do partido decidiu por mantê-la onde está até o fim do mandato.

Situação semelhante aconteceu com Antônio Cruz (PSDB), que pretendia se lançar ao Senado, mas pelo ninho tucano estar “congestionado de candidatos”, desistiu da ideia e também deve permanecer como edil pelos próximos dois anos.

Seguem indefinidos à espera das definições das legendas Otávio Trad (PTB), Carlão (PSB), Eduardo Romero (Rede), Enfermeiro Fritz (PSD), Cida Amaral (Pros), que podem tanto buscar uma vaga estadual quanto federal.

No bloco dos convictos a permanecer com vereador, estão Dr Lívio (PSDB), João César Mattogrosso (PSDB), Veterinário Francisco (PSB), Ayrton Araújo (PT), Ademir Santana (PDT) e, o mais célebre destes, João Rocha (PSDB), reeleito pelos colegas para comandar a Casa até o fim de 2020.

Jornal Midiamax