Política

Desembargador que mandou soltar Lula agiu de forma precipitada, diz João Danieze

Socialista não vê perseguição política contra ex-presidente

Joaquim Padilha Publicado em 09/07/2018, às 11h17 - Atualizado às 11h29

(Foto: Aquivo/Midiamax)
(Foto: Aquivo/Midiamax) - (Foto: Aquivo/Midiamax)

O ex-vice-prefeito de Ribas do Rio Pardo e pré-candidato a governador do Estado, João Alfredo Danieze (PSOL), afirmou nesta segunda-feira (9) que a forma como o desembargador Rogério Favreto concedeu habeas corpus ao ex-presidente Lula foi “precipitada e muito estranha”.

Desembargador que mandou soltar Lula agiu de forma precipitada, diz João Danieze
Socialista não vê perseguição política contra ex-presidente (Reprodução: Rádio 90 FM)

Para Danieze, Favreto não observou o regimento do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). “A discussão envolve competência regimental interna, ou seja, no TRF4 há um regimento que deve ser observado. O relator, Favreto, não observou o regimento”, disse.

“O relator agiu de forma precipitada, num habeas-corpus distribuído menos de 1 hora depois de seu plantão judiciário”, afirmou Danieze. O pré-candidato acredita que a decisão de manter Lula preso, do presidente do TRF4, Thompson Flores, acompanhou o regimento da Corte.

O socialista nega que haja qualquer tipo de perseguição política a Lula por conta da rapidez em barrar seu habeas corpus, ainda neste domingo (8). “As delações deixam evidenciado os favorecimentos a ele e a outros membros do partido”, alega Danieze.

“Assim como estão presos políticos de vários outros partidos: Cunha, Cabral, Gedel, etc.”, diz o ex-vice-prefeito. Danieze só questiona a ausência de prisões de políticos do PSDB que cometeram crimes na Lava Jato. Pau que bate em Chico, bate em Francisco, como diz esse adágio popular”, afirmou.

A prisão de Lula foi questionada em um habeas corpus concedido pelo desembargador Rogério Favreto, neste domingo (8), ratificado por mais duas decisões no mesmo dia. Entretanto, ainda no domingo, o desembargador Thompson Flores decidiu barrar a soltura do ex-presidente.

Jornal Midiamax