Política

Crime organizado vai crescer ‘cada vez mais’ sem melhora na economia, diz Marquinhos

Prefeito diz que poder público tem dificuldade para lidar com violência

Joaquim Padilha Publicado em 15/06/2018, às 12h05

None

Para o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), os recentes crimes violentos no Estado, que levantam suspeitas de participação do crime organizado, devem aumentar cada vez mais caso não haja uma melhora geral do cenário econômico e da educação.

A semana começou com a execução do sargento da Polícia Militar, Ílson Martins Figueiredo, chefe de segurança da Assembleia Legislativa, e nesta quinta-feira (14) terminou com a tentativa de assassinato do prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB).

Questionado sobre essa onda de violência no Estado, o prefeito disse que, para combater o crime organizado, deve-se “primeiro melhorar a situação econômica e financeira do país”.

“Isso vai dar uma estabilidade e aumentar a geração de empregos e a educação. Aí aos poucos você vai diminuindo”, disse Marquinhos. “Do jeito que está indo, só tende a eles dominarem cada vez mais”, pontuou.

O prefeito disse também que todo o poder público passa por dificuldades para combater o crime. “Infelizmente a estrutura de todas as esferas do poder público, ou elas estão falidas, ou elas passam por extremas dificuldades. Todos os setores”.

O gestor lembrou também do caso da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada há três meses sem solução de seu caso. “Teve até um desabafo de um delegado dizendo que não consegue porque, enquanto eu começo a ver o caso dela, tem mais 100 chegando”, relatou.

O prefeito reforçou que apenas a melhora da economia e educação reduz o crime. “Isso vai delongar um bom tempo”, disse. “O próprio nome fala, eles são organizados”.

Jornal Midiamax