Política

Com aumento de 41,4%, cerca de 500 mil eleitores devem votar no exterior

Dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta terça-feira (24) apontam que o número de eleitores que votam no exterior cresceu 41,4% desde a eleição presidencial de 2014 e cerca de 500 mil se cadastraram para exercer o direito de voto mesmo morando fora do Brasil neste ano. Em 2014, 354 mil foram cadastrados. A […]

Maisse Cunha Publicado em 24/07/2018, às 17h37

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)
(Foto: José Cruz/Agência Brasil) - (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
Com aumento de 41,4%, cerca de 500 mil eleitores devem votar no exterior
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) nesta terça-feira (24) apontam que o número de eleitores que votam no exterior cresceu 41,4% desde a eleição presidencial de 2014 e cerca de 500 mil se cadastraram para exercer o direito de voto mesmo morando fora do Brasil neste ano. Em 2014, 354 mil foram cadastrados.

A autorização de voto para brasileiros residentes no exterior foi instituída em  1988 e desde então, segundo o TSE, o número só tende a aumentar. Conforme a Justiça Eleitoral, o número final de 2018 ainda pode aumentar pois a situação de muitos inscritos ainda está sendo analisada pela corte.

Instaladas nos consulados, mais de 200 cidades receberão eleitores brasileiros. Além dessas, outras 33 cidades, como Florença e Veneza (Itália), Colônia e Hamburgo (Alemanha), Orlando  Salt Lake City e Flammingaham (Estados Unidos), Winnipeg (Austrália), Vale do Bekaa (Líbano) e Suzuka (Japão), também terão sessões eleitorais.

A criação do “título net exterior”, instrumento que permite a inscrição e transferência eleitorais em tempo real, além da adoção do E-título, título eleitoral digital, devem facilitar o exercício do voto para quem vive fora do Brasil.

*Com informações da Agência Brasil

Jornal Midiamax