Política

Líder de partido na Assembleia diz que ‘hoje é um dia triste para o PMDB’

Deputados disseram ficar surpresos com operação contra ex-governador Puccinelli

Joaquim Padilha Publicado em 11/05/2017, às 14h53

None

Deputados disseram ficar surpresos com operação contra ex-governador Puccinelli

Deputados ouvidos pelo Jornal Midiamax disseram ter sido pegos de surpresa pela condução coercitiva do ex-governador André Puniccelli, realizada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (11), no âmbito da Operação Máquinas de Lama. Para o líder do PMDB na Assembleia Legislativa, Eduardo Rocha, é um dia triste para o partido.

Rocha não quis comentar os efeitos políticos da nova investigação contra Puccinelli. “Fiquei muito surpreso com o que aconteceu, não esperava. Acredito na inocência dele”, afirmou.

O deputado lamentou a condução coercitiva afirmando que “André nunca negou ir prestar depoimento. Ele até já foi à Polícia Federal sem ser convocado”, completou.

A mesma surpresa e pesar foi demonstrada pelo Coronel David (PSC), que foi comandante da Polícia Militar durante os anos de gestão de Puccinelli. “Tenho um respeito muito grande pelo André. Fiquei bastante surpreso”, afirmou.

O parlamentar lamenta que as investigações da PF possam prejudicar a imagem dos políticos do Estado em geral. “A população não sabe separar o joio do trigo, e fatos como esse prejudicam a imagem dos políticos de um modo geral”, acredita.Líder de partido na Assembleia diz que 'hoje é um dia triste para o PMDB'

Os deputado Lídio Lopes (PEN) e Pedro Kemp também (PT) disseram estar surpresos e disseram que ficaram sabendo da condução do ex-governador, mas preferiram não comentar a repercussão da Operação.

Já o parlamentar Cabo Almi (PT) afirmou que não ficou nada surpreso com a operação contra Puccinelli. “Era esperado, desde o início da Lama Asfáltica até recentemente na Lava-Jato seu nome vem sendo citado”, aponta. “Essas operações são uma onda que vem acontecendo em todo o país pra se lavar a corrupção”.

“Notícias como essas deixam claro que as questões políticas estão mudando, que ninguém está acima da lei”, comentou. “Quem deve, tem que pagar. Não estou julgando dizendo que deve, mas se fez algo errado, que pague”. terminou.

Operação Máquinas de Lama

A quarta fase da Operação Lama Asfáltica, chamada de Máquinas de Lama foi deflagrada nesta quinta-feira (11) em conjunto pela Polícia Federal e CGU (Controladoria Geral da União), e cumpre três mandados de prisão, nove de condução coercitiva, 32 mandados de busca e apreensão, além de sequestro de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e empresas investigadas.

Além de Campo Grande, 270 agentes da PF, CGU e RF estão nas cidades de Nioaque, Porto Murtinho e Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul, São Paulo (SP) e Curitiba (PR), são alvos dos Operação que cumpre três mandados de prisão preventiva, nove de condução coercitiva, 32 de busca e apreensão além do sequestro de valores nas contas bancárias de pessoas físicas e empresas investigadas.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax