Com 3 suplentes, Dourados sonha chegar ao Senado sem ser ‘prêmio de consolação’

Políticos douradenses esperam união para eleger um senador
| 21/04/2017
- 21:31
Com 3 suplentes, Dourados sonha chegar ao Senado sem ser ‘prêmio de consolação’

Políticos douradenses esperam união para eleger um senador

Pela primeira vez em sua história a cidade de Dourados têm chances de assumir uma vaga no Senado. Basta que os senadores Waldemir Moka (PMDB), Simone Tebet (PMDB) e Pedro Chaves (PSC) tenham algum tipo de impedimento para exercerem seus cargos. É que os primeiros suplentes dos três senadores têm domicilio eleitoral em Dourados.
O empresário Gino Ferreira (PMDB) é suplente de Moka; a professora aposentada Zonir Tetila (PT) é a substituta de Pedro Chaves enquanto que o agropecuarista Celso Dal Lago (PMDB) é o imediato da senadora Simone Tebet.

Os mandatos de Pedro e Moka terminam no inicio de 2019 já que as duas vagas entram em disputa no ano que vem. Já o mandato de Simone vai até 2023.

Por duas vezes Dourados quase chegou ao Senado. Na primeira vez o agrônomo Egon Krackekhe (PT) foi muito bem votado. O ex-prefeito Murilo Zauith (PSB) também tentou e faltou pouco para ir ao Senado. Nestas duas ocasiões a população de Dourados se uniu para realizar o sonho de eleger o senador da região. Outros políticos douradenses também tentaram o cargo, mas com votação insignificante.

Gino Ferreira que foi presidente do Sindicato Rural e vereador afirmou que está na hora de Dourados chegar ao Senado. “Esse negócio de indicar suplentes não passa de um prêmio de consolação”, disse o empresário que espera novamente a união da classe política em torno de um candidato com chances de vitória.  Gino disse que o sonho de um suplente é assumir o cargo e por isso sempre está preparado caso haja necessidade.

Na verdade Gino Ferreira foi eleito como segundo suplente. A primeira suplente eleita é Antonieta Amorim que é deputado estadual com mandato até o final do ano que vem. Para ela assumir o Senador tem que abdicar do cargo de deputada estadual. Por este motivo é que Gino se considera “primeiro suplente”. A professora Zonir Tetila, esposa do ex-prefeito Laerte Tetila era a segunda suplente de Delcídio do Amaral. Com o impedimento de continuar no Senado, Amaral foi substituído pelo magnata da educação Pedro Chaves. Por causa disso, Zonir foi guindada para a primeira suplência.

Na opinião de Gino Ferreira o Brasil está vivendo um momento conturbado onde praticamente quase toda a classe política está envolvida em casos de corrupção. “Eu e os outros dois suplentes somos fichas limpas e podemos fazer a diferença participando e influindo na eleição do ano quem”, finalizou o suplente de Moka.

Veja também

O deputado estadual e pré-candidato ao Governo do Estado, Capitão Contar anunciou nas redes sociais...

Últimas notícias