Política

Rose registra candidatura e diz que não sabe quanto declarou em bens

Contudo, ela disse que 'ganha pouco'

Jessica Benitez Publicado em 10/08/2016, às 21h33

None
b4a1bd49-dbc5-4577-b15a-60e96c1d7519.jpg

Contudo, ela disse que 'ganha pouco'

A vice-governadora Rose Modesto (PSDB) registrou candidatura à Prefeitura de Campo Grande na tarde desta quarta-feira (10) e não soube dizer à imprensa quanto declarou em bens, embora tivesse acabado de informar a relação de posses ao TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). Questionada, ela apenas ressaltou não ter remuneração alta.

“Não sei precisar exatamente (quanto declarou), só sei que foi pouco, não ganho muito não”, disse. Em breve as informações vão estar disponíveis no sistema da Justiça Eleitoral, como ocorre com todos os nomes que disputam cargos eletivos em qualquer eleição. Em 2014, quando era vereadora e se candidatou a vice-governadora, a tucana declarou R$ 139,3 mil.

Contudo, ela ressaltou que “a partir de agora vamos ter acesso a tudo e dentro da transparência e o momento pede isso, para recuperar a credibilidade da classe política”. Quanto ao fato de haver mais de 10 nomes colocados à disputa pelo comando da cidade, Rose disse não ver dificuldade para quem tem a ficha limpa perante da Justiça e, mesmo sendo citada na Operação Coffee Break com sigilos bancário e fiscal quebrados, sustentou nunca ter sido processada.

“Graças a Deus nesses 18 anos de vida pública jamais respondi processo”. De qualquer forma garantiu que a campanha não será feita com base em ataques, apenas mostrando os problemas que existem, que já existiram e até agora ninguém mudou. O superintendente licenciado do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) Cláudio Mendonça (PR) está na chapa na função de vice-prefeito, acompanhou tudo, mas não se pronunciou.

Propostas – De carona no plano governo usado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) em 2012, quando disputou a Prefeitura da Capital, a ex-vereadora segue com o Pensando Campo Grande e garante que mais de 45 mil pessoas foram ouvidas. A prioridade, caso eleita, é finalizar as obras que serão deixadas inacabadas.

Além disso, focar na saúde básica e diminuir o tempo de percurso no sentindo bairros-centro com mais corredores ao transporte público. Acompanharam o registro de candidatura os secretários de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis, da Casa Civil, Sérgio de Paula e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

Jornal Midiamax