Política

Pacote de obras e logística do governo do Estado fica para o 2017

Previsão era que fosse divulgado em agosto

Midiamax Publicado em 24/10/2016, às 15h38

None
riedel.jpg

Previsão era que fosse divulgado em agosto

O secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel (PSDB), revelou nesta manhã de segunda-feira (24), que o pacote de obras e logística, com valor anunciado de R$ 2,7 bilhões, que estava previsto para o governo lançar no último mês de agosto, será feito somente em 2017.. O motivo dessa mudança, segundo ele, é o momento complicado da economia.

“Estamos em um momento nacional muito volátil, extremamente, por conta da PEC 241, a repatriação dos valores estrangeiros. Tudo isso impacta no repasse dos Estados, com relação ao que que vem da União e automaticamente impacta em nossas decisões. Você tem que equilibrar com essa situação e é difícil planejar com variáveis que ainda estão indefinidas, por isso que temos cautela nas decisões”, frisou Riedel.

Ao ser questionado se esse pacote de logística fica para o ano que vem, ele diz que sim. “Na verdade o desenho dele está muito bem delineado, a secretaria de infra estrutura (Seinfra, Secretaria de Estado de Infraestrutura) junto com o governo já sentou, já discutiu quais estradas, prioridades. Nesse meio tempo estamos trabalhando com BNDS, as situações possíveis de parcerias para o Estado, então tem uma série de questões em andamento para gente quando for lançar fazer com segurança”, concluiu o secretario.

Previsão anterior

O anúncio deste pacote foi feito no dia 20 de julho, pelo próprio governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Na data ele mesmo disse que o lançamento oficial seria na primeira quinzena de agosto, mas sem detalhes de investimento, somente o valor de R$ 2,7 bilhões.

Na ocasião, Azambuja disse que o dinheiro a ser investido, parte são recursos próprios do governo, e parte da verba oriunda de convênios com a União. Na época, a expectativa do governo foi de que as obras sejam concluídas ainda na gestão de Azambuja, ou seja, até o fim de 2018, e que possam garantir um melhor escoamento do que é produzido em território sul-mato-grossense, aumentando a competitiva da indústria local.

“Os recursos são para a melhoria de logística e performance em Mato Grosso do Sul e totalizam R$ 2,7 bilhões, que vão contemplar a ampliação das rodovias pavimentadas, implantação de novas, e recuperação das rodovias existentes, passando também por um amplo avanço na recuperação da malha ferroviária e fortalecimento hidroviário, iniciando ainda este ano”, revelou Reinaldo na ocasião.

Jornal Midiamax