Política

Familiares de Amorim levam lanches e remédios para as filhas do empresário

Eles não quiseram falar com os jornalista na sede da PF

Midiamax Publicado em 10/05/2016, às 18h37

None
pf_a_tarde_luizinho_3_.jpeg

Eles não quiseram falar com os jornalista na sede da PF

Alguns familiares do empresário João Amorim e de suas três filhas, foram até a sede da Polícia Federal no início desta tarde para levar lanches e remédios para elas. Eles não quiseram falar com a imprensa, mas carregavam lanches, sanduíche natural e remédios. Uma das caixas de medicamentos era uma de tarja preta.

Ao chegar no local com os remédios, os presentes foram avisados pelos policiais que precisariam das receitas juntamente com os medicamentos e desta forma, as filhas de Amorim, presas, tiveram que dizer onde estavam as receitas e os familiares foram buscar.

Ana Paula Amorim Dolzan, Ana Lúcia Amorim e Renata Amorim Agnoletto foram presas por suspeita de serem laranjas do pai em empresas usadas para lavar dinheiro desviados das obras públicas.

As prisões fazem parte da segunda fase da operação Lama Asfáltica, denominada Fazendas de Lama, deflagrada nesta manhã de terça-feira (10). Este bloqueou pouco mais de R$ 43 milhões em bens de 24 pessoas, apreendeu dois aviões, um do empreiteiro João Amorim e outro do empresário João Baird, e encontrou na casa dos acusados US$ 10 mil em espécie e um montante em real que ainda está sendo contabilizado pelos agentes da Polícia Federal.

A ação, que envolveu 201 policiais federais, 28 da Controladoria Geral da União e 44 da Receita Federal cumpriu 28 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão temporária, bem como 24 mandados de sequestro de bens dos investigados, dentre eles imóveis rurais e urbanos e contas bancárias.

Jornal Midiamax