Política

Candidatos assinam termo de compromisso com Conselho Municipal de Saúde

Dos 15, 10 participaram de sabatina

Midiamax Publicado em 23/09/2016, às 15h33

None
sindaf.png

Dos 15, 10 participaram de sabatina

Na manhã desta sexta-feira (23), 10 dos 15 candidatos a prefeito de Campo Grande, participaram de uma sabatina organizada pelo Conselho Municipal de Saúde da Capital. Cada um tinha 12 minutos para falar de suas propostas sobre a saúde da cidade, em especial com relação a lista feita pelo conselho, na qual todos assinaram o compromisso com a saúde pública do município.

Dentre os compromissos estipulados pelo conselho, três se destacam como sendo os principais, que é garantir a gestão participativa da sociedade vigente, garantindo a efetivação do controle social; assumir o compromisso com a não terceirização da gestão pública de saúde de Campo Grande e buscar o fortalecimento e o compromisso da ampliação de 80% da atenção básica através da estratégia e saúde da família entre os anos de 2017 e 2018.

Cada candidato presente teve 12 minutos para expor suas propostas na área da saúde e em especial as reivindicações propostas do termo de compromisso. A mais falada foi a questão da terceirização da saúde, projeto este aprovado pela Assembleia Legislativa de Mato Groso do Sul, para que alguns Hospitais do Estado sejam geridos por OSs (Organizações Sociais), na qual, após um levantamento, o governo passaria o valor necessário para aquele hospital funcionar e a responsabilidade de contratação e todo funcionamento passa a ser da OS.

Estiveram presente, segundo a ordem de apresentação, os candidatos Suel Feranti (PSTU), Alcides Bernal (PP), Marcelo Bluma (PV), Athayde Nery (PPS), Lauro Davi (PROS), Aroldo Figueiró (PTN), Rose Modesto (PSDB), Alex do PT (PT), Marquinhos Trad (PSD) e Adalton Garcia (PRTB). Os demais cinco foram convidados mas não compareceram e nem justificaram a falta, segundo o coordenador da mesa diretora do conselho Sebastião Junior.

“Todos foram convidados, mas somente estes dez compareceram. Com relação ao formato que fizemos, foi uma escolha para evitar o tumulto e discussões. Decidimos por eles falarem e nós ouvirmos, mas cada um assinou o nosso temos de compromisso e a nossa grande expectativa é que quem for eleito cumpra”, disse Junior.

Ainda segundo ele, a principal questão de fato a ser falada foi sobre esta terceirização da saúde. “Para nós essa questão das OSs é terceirização, pois iremos tirar a responsabilidade do governo e passar para outros cuidarem. Isso não é certo. Outra grande questão é com relação a garantir uma gestão participativa da sociedade civil”.

Completam os demais quesitos impostos no termo de compromisso, concluir as obras de reformas e construções da atenção básica e especialidade; concluir as obras paralisadas da rede hospitalar (Hospital do Trauma, Hospital do Câncer, Hospital Universitário, Hospital Municipal de Medicina Tropical); efetivar a implementação do plano de cargos, carreiras e salários do servidor público da saúde; manter a efetivação da gestão plena do município de Campo Grande; assegurar o cumprimento do decreto federal nº 7.508/2012 (COAP – Contrato Oganizativo da ação pública da saúde), na macro-região do município de Campo Grande e por último cumprir a execução e efetivação das propostas da 7ª Conferência Municipal de Saúde de Campo Grande.

A ordem dos candidatos foi definida por meio de consenso e acordo, segundo Junior e ficou como foram citados acima. Cerca de 70 conselheiros acompanharam a sabatina. A sabatina foi realizada no Sindafis(Sindicato dos Trabalhadores no Serviço de Fiscalização da Prefeitura Municipal de Campo Grande).

Jornal Midiamax