Política

Câmara não deve punir vereador após ofensa e mentira contra idosa de 87 anos

Ele pediu para retirar fala de ata e Câmara acatou

Midiamax Publicado em 05/05/2016, às 17h08

None
duraes3.jpg

Ele pediu para retirar fala de ata e Câmara acatou

O vereador Roberto Durães (PSC), que se retratou publicamente após ofender a mãe do prefeito Alcides Bernal (PP) durante uma sessão da Câmara Municipal, não corre mais risco de ter seu mandato cassado. A seu pedido, as falas foram retiradas da pauta, e com pedidos de desculpas oficial, “é como se não tivessem sido ditas, ou seja, cessa medidas ritualísticas que poderiam ser tomadas pela Casa”, conforme explicou o presidente da Câmara, vereador João Rocha (PSDB).

Durães usou a tribuna no início da sessão desta quinta-feira (5), para se retratar e pedir que seja retirado de pauta o discurso dele de terça-feira. Segundo o parlamentar, o momento da fala 'infeliz', ele se referia às ‘batidas’ de Bernal Câmara, e disse que jamais teve a intenção de ofender a senhora mãe do prefeito.

Após isso, João Rocha teve uma conversa particular com o parlamentar. No diálogo, Durães reafirmou que estava arrependido. “Ele confirmou que agiu no calor do momento, na emoção e pediu desculpas publicamente. Retiramos da pauta do dia as falas dele e, pelo menos dentro da Casa de Leis, não há ações punitivas a serem tomadas”, explicou o presidente.

Como referência, o parlamentar citou exageros cometidos por Paulo Pedra, enquanto vereador. “Ele chegou a dizer que o prefeito deveria vir de joelhos à câmara, quando falava que tinha dinheiro em caixa para pagar professores . Depois se retratava e o assunto era tirado da pauta da sessão”.

A presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB, Tâmara Sanches, explicou que há respaldo jurídico pela decisão da Câmara, já que Durães se retratou publicamente, porém isso o isenta apenas de responsabilidades dentro do regimento interno.”Não impede ações judiciais externas, ou outros tipos de processo”, apontou.Câmara não deve punir vereador após ofensa e mentira contra idosa de 87 anos

Confusão

Em contrapartida, outras medidas devem ser tomadas diante da confusão ocorrida na sessão de hoje. O presidente afirmou que utilizará todos recursos administrativos e jurídicos para que os excessos sejam punidos. Vale ressaltar, que um radialista foi agredido durante sessão, revidou e seu agressor acabou deixando a Casa com o nariz sangrando.

A sessão havia sido encerrada minutos antes. Segundo João Rocha, foi uma “decisão sábia, diante da invasão que aconteceu no local”. Servidores Municipais lotavam o plenário, quando um grupo com mais de cem pessoas, entraram no local em protesto, pedindo a cassação de Durães. Entre os integrantes, estavam secretárias e ex-funcionários de Bernal, como Ritva Vieira, Dharleng Campos e Paulo Pedra. Diante disso, houve trocas de ofensas enquanto o presidente do Sisem Marcos Tabosa discursava no plenário e a sessão acabou encerrada, contrariando a vontade da vereadora Luiza Ribeiro (PPS).

“Tudo que aconteceu aqui hoje foi registrado pelas câmeras de segurança. Temos ainda depoimentos e registros que serão encaminhados para o jurídico. Quem tiver cometido atitude digna de punição, será acionado. Seja servidor da Câmara, vereador, ou representas da equipe do prefeito”, completou o vereador.

Jornal Midiamax