Política

Zeca vai ao MPE contra nomeação de Nelson Cintra e inclui Reinaldo na ação

Deputado petista acusa aliado do governador de ser ficha suja

Ludyney Moura Publicado em 09/01/2015, às 20h49

None
cintra_e_reinaldo.jpg

Deputado petista acusa aliado do governador de ser ficha suja

O deputado federal eleito e diplomado, Zeca do PT, protocolou na tarde de hoje, sexta-feira (9), representação junto ao MPE (Ministério Público Estadual) solicitando uma investigação por ato improbidade administrativa contra o governador Reinaldo Azambuja e o diretor-presidente da Fundtur (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul), Nelson Cintra (PSDB), ex-prefeito de Porto Murtinho.

“Nelson Cintra é ficha suja. Foi condenação pela Justiça Eleitoral, inclusive com perda de direitos políticos, e também foi condenado pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) que o obrigou a devolver dinheiro aos cofres de Porto Murtinho”,  apontou Zeca.

No documento entregue na Procuradoria de Justiça do Estado, o deputado petista acusa o tucano Nelson Cintra, adversário político do irmão de Zeca, o atual prefeito murtinhense, Heitor Miranda dos Santos, de estar impedido pela Constituição Estadual de assumir o posto de diretor-presidente “por se enquadrar nas condições de inelegibilidade”. O tucano foi citado na lista divulgada pelo TCE, nas vésperas das eleições gerais de 2014, de gestores que tiveram contas reprovadas.

Zeca acusa Reinaldo Azambuja de “violar frontalmente a Constituição Estadual que ele jurou cumprir em seu ato de posse, praticando inclusive crime de responsabilidade”, por nomear Cintra “sabendo que o mesmo não possuía condições e nem certidões que lhe permitisse ocupar o referido cargo”.

Por meio de sua assessoria, o governador e o diretor da Fundtur rebateram as acusações de Zeca. A gestão tucana informou que o ex-prefeito de Porto Murtinho “está recorrendo de todas as condenações do Tribunal de Contas e que todos os documentos exigidos para a posse no cargo foram entregues”.

Ocorre que Nelson Cintra já foi condenado pelo TCE inclusive a ressarcir o município que administrou, fato comprovado pelo acórdão da Corte Fiscal 1283/2007. Outros dois acórdão do mesmo ano também trazem declarações de irregularidades na prestação de contas de Porto Murtinho quando o tucano era o prefeito.

Uma decisão do juiz eleitoral da comarca de Porto Murtinho, Cezar Fidel Volpi, datada de 5 de dezembro de 2014, atesta a inelegibilidade de Cintra por oito anos, a contar do 2º turno das eleições de 2008, ou seja, até outubro de 2016.

Reinaldo tem afirmado que todos os nomeados em cargos de confiança são ‘ficha limpa’, e já declarou que para tomar posse, todos os secretários e diretores de fundação apresentaram certidões negativas de débitos com a justiça. 

Jornal Midiamax