Política

Zeca lembra de Aécio e Puccinelli e questiona perseguição ao PT

Deputado cobra punição a outros investigados

Midiamax Publicado em 25/11/2015, às 11h50

None
40970e93a10b2cd386fad037e3550e8c.jpg

Deputado cobra punição a outros investigados

O deputado Zeca do PT questionou a diferença de tratamento que, segundo ele, é dada em investigações da Polícia Federal. Indagado sobre a prisão de Delcídio do Amaral (PT), o deputado disse que não sabe os motivos ainda e que estranhou o fato, levando em conta, principalmente, que outros investigados não são punidos.

“Eu percebo que o que acontece com o PT não acontece com mais ninguém. Cadê o envolvimento do Aécio Neves e do PSDB no caso do metrô de São Paulo. O Aécio e o PSDB também receberam dinheiro das empresas da Lava Jato e o que aconteceu?”, questionou.

Na avaliação de Zeca, a investigação revela uma perseguição para atingir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT. “Não tem outra explicação para isso. O Aécio e o Eduardo Cunha foram citados e o que aconteceu?”, indagou.

O deputado também lembrou da Operação Lama Asfáltica que acontece em Mato Grosso do Sul, ressaltando a liberdade de André Puccinelli (PMDB), um dos investigados. “A Lama Asfáltica também é da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Alguém acha que o André não está coagindo e escondendo provas? São dois pesos para uma mesma medida”, protestou.

Prisão

A prisão de Delcídio do Amaral foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal com alegação de que ele tentava conturbar as investigações da Operação Lava Jato.Delcídio havia sido citado pelo ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, por suposta participação  em esquema de desvio de recurso para compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Além de Delcídio, também foram detidos o chefe de gabinete dele, Diogo Ferreira, o advogado de Nestor Figueiró, Édson Ribeiro, e o banqueiro do BTG Pactual, André Esteves. A reportagem conversou com vários assessores do senador, de Campo Grande e Brasília, mas ninguém soube dizer o que está acontecendo. Eles alegam que tentam contato com o senador, mas não conseguem falar.

Jornal Midiamax