Política

Simone Tebet condena cortes de verbas para agências de metrologia

Senadora fez apelo ao ministro da Fazenda

Guilherme Cavalcante Publicado em 08/10/2015, às 18h50

None
simone_tebet.jpeg

Senadora fez apelo ao ministro da Fazenda

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) pediu ao governo que reveja os cortes feitos nos recursos destinados às agências de metrologia que fazem o trabalho do Inmetro nos Estados, verificando nos municípios se não há fraudes em pesos e medidas, e se produtos como remédios, cigarros e brinquedos não são falsificados ou contrabandeados.

Ela disse que, em Mato Grosso do Sul, o corte foi da ordem de 40% em junho e, em setembro, subiu para mais de 50%. Por isso, o governo do Estado teve que demitir pessoal, diminuir o horário de atendimento e devolver metade dos carros usados na fiscalização.

Para Simone Tebet, o governo cometeu um erro triplo ao reduzir essas verbas. Primeiro, os cortes não foram lineares. No Rio Grande do Norte, por exemplo, a redução chegou a 75%. Segundo, o dinheiro das agências de metrologia provém das multas por elas aplicadas às infrações, por isso, o governo não poderia mexer nessas verbas.

Além disso, segundo a senadora, os cortes fragilizam as agências que não mais poderão trabalhar adequadamente, aplicar as multas devidas e gerar recursos para o próprio governo, por meio do Inmetro. Por isso, ela fez um alerta e um apelo ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

“Corte apenas o que está dando errado. Corte as despesas extraordinárias, desnecessárias, mas não vamos mexer no que está dando certo. Eu vim aqui alertar o ministro da Fazenda: repense essa questão porque não dou dois ou três meses, se a situação continuar dessa forma, o meu estado vai ter dificuldade, vai pedir rescisão do contrato e, aí, como é que o Inmetro vai poder garantir a segurança, a saúde de todos os brasileiros?”, disse a senadora.

Jornal Midiamax