Política

Vereador leva sapatada ao tentar abrir sessão na Câmara de Dourados; veja vídeo

Manifestantes arremessaram ainda moedas nos vereadores que tentaram promover hoje a primeira sessão após o escândalo que pôs 9 dos 12 parlamentares na cadeia por ligação com esquema de fraude em licitações

Arquivo Publicado em 09/09/2010, às 13h47

None

Manifestantes arremessaram ainda moedas nos vereadores que tentaram promover hoje a primeira sessão após o escândalo que pôs 9 dos 12 parlamentares na cadeia por ligação com esquema de fraude em licitações




Um homem deu uma sapatada no vereador de Aurélio Bonatto, do PDT, na primeira sessão realizada na Câmara de Dourados após o escândalo que motivou a prisão de 9 dos 12 parlamentares da Casa, semana passada, durante a operação Uragano, da Polícia Federal.

Houve confusão, tapas, empurrões, briga contida pelo forte aparato policial e a sessão de hoje foi transferida para segunda-feira.

Ao menos 600 pessoas foram para frente do prédio da Câmara, 300 dos quais ficaram de fora por falta de espaço no auditório.

O homem que atirou o sapato em Bonatto, Adailton Castro de Souza, 35, foi detido e disse ter ficado irritado quando viu o vereador, que foi preso na operação, comandando a sessão que nem sequer começou. A platéia atirou moedas nos vereadores, que tiveram de sair correndo para o plenarinho.

Bonatto prometeu registrar um boletim de ocorrência contra o rapaz. O vereador foi detido durante a operação da PF porque recebia propina para aprovar os projetos do prefeito Ari Artuzi, do PDT, também preso na operação

História da sapatada em Bush

Em dezembro de 2008, o o jornalista iraquiano Muntazer al-Zaidi, agrediu o presidente dos Estados Unidos da América, George Bush com uma sapatada e tornou o gesto famoso no mundo inteiro.

Agredir alguém a sapatadas é um ato violento em qualquer parte do planeta, e em qualquer cultura. Mas, segundo o vice-presidente da Assembléia Mundial da Juventude Islâmica, xeque Jihad Hammadeh, no mundo árabe o gesto tem um significado ainda mais forte, de humilhação.

Em algumas culturas, as crianças são ensinadas a nunca cruzar a perna deixando a planta dos pés ou a sola do sapato em direção ao rosto das pessoas. (O vídeo desta matéria foi produzido pela Rede Record de Televisão).

Jornal Midiamax